Mano garante chegada de reforços no Flamengo e diz: ‘Temos que qualificar’

Treinador volta a falar da importância da contratação de nomes consagrados para dar experiência ao elenco do Flamengo

A vitória no primeiro teste não iludiu. Logo após o 1 a 0 sobre o São Paulo, sábado, em Uberlândia, Mano Menezes não teve dúvidas em admitir nos microfones: o Flamengo precisa de evolução urgente. E esse salto de qualidade está diretamente ligado a chegada de reforços na cabeça do treinador. Duas semanas após a sua apresentação no Rubro-Negro, nenhum nome foi anunciado. Mas, mesmo com a dificuldade encontrada o mercado, Mano é objetivo ao garantir que jogadores serão contratados para sequência do Brasileirão e da Copa do Brasil.


Mano garante chegada de reforços no Flamengo e avisa: ?Temos que qualificar?

- Sem dúvida nenhuma, vamos trazer pontualmente poucos jogadores. Essa é a realidade do clube para esta primeira parte do trabalho. Mas são jogadores que possam acrescentar referência. Precisamos disso neste momento. Assim, os jovens têm mais sustentação para crescer. Temos que qualificar, independentemente de resultados. O campeonato é longo, vai exigir muito e temos paralelamente a Copa do Brasil, onde não queremos perder a oportunidade de avançar.

A ação do Flamengo no mercado passa diretamente pelo dilema entre buscar reforços de peso e manter a postura de redução de gastos. Assim, a diretoria tenta unir o útil ao barato, o que, definitivamente, não é fácil. Contratações sem custos para aquisição ou empréstimos representam o caminho dos sonhos, mas não são tão simples. Nesta linha, o Rubro-Negro monitora a situação de Emerson Sheik no Corinthians.

Com a negociação pela renovação de contrato emperrada por uma divergência no tempo do novo acordo ? o jogador quer dois anos e o Timão apenas um -, o Fla entrará em ação se a opção do atacante for deixar o Parque São Jorge. Contatos iniciais já foram feitos, os termos de um possível acordo agradaram, e o Sheik chegaria sem custos. A transação perfeita para os anseios rubro-negros.

O mesmo não se aplica a Leandro Castán. O defensor interessa, mas o Roma só o libera mediante pagamento de cerca de R$ 4,2 milhões, valor que o Flamengo tenta reduzir. Se a necessidade de reforçar a equipe é grande, a preocupação com as contas é proporcional, e todo investimento depende do aval do vice de finanças, Rodrigo Tostes.

Enquanto corre atrás para atender aos pedidos de seu treinador, o Flamengo volta a jogar pelo Brasileirão no próximo sábado, contra o Coritiba, pela sexta rodada, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. O time paranaense lidera a competição, enquanto os cariocas estão apenas na 14ª colocação.

Fonte: GloboEsporte