Marco Aurélio Cunha bate-boca e faz acusações ao diretor do São Paulo

Marco Aurélio Cunha bate-boca e faz acusações ao diretor do São Paulo

A vitória do São Paulo sobre o Benfica no último sábado não acalmou todos os ânimos da crise tricolor.

A vitória do São Paulo sobre o Benfica no último sábado não acalmou todos os ânimos da crise tricolor. No último domingo, Julio Casares, diretor de comunicação do clube, bateu boca e trocou acusações com Marco Aurélio Cunha, principal nome da oposição, ao vivo no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

O motivo da briga foi o churrasco na sede social do clube que, há duas semanas, virou notícia pelo vídeo em que Juvenal Juvêncio aparece discutindo com um grupo de sócios ligado à oposição. A reunião contou com a presença de membros de torcida organizada e por pouco não terminou em confusão.

Na semana passada, Júlio Casares foi ao programa Mesa Redonda e disse que os organizados presentes ao encontro eram também sócios do clube, e que por isso estavam autorizados a ficarem no local. Neste domingo, Marco Aurélio Cunha deu uma versão diferente dos fatos. Segundo ele, eles teriam sido colocados para dentro por aliados de Juvenal, e teriam entrado por uma porta lateral.

?Quando o senhor saiu do São Paulo foi uma grande injustiça. Sempre apoiei o senhor. Agora o senhor vem me chamar de mentiroso? Não vai me chamar de mentiroso mesmo?, disse Casares, que pediu direito de resposta e entrou no ar ao vivo, por telefone.

Exaltado, o diretor de comunicação creditou a Juvenal Juvêncio a nomeação de Marco Aurélio Cunha como dirigente remunerado de futebol. O hoje opositor rebateu. ?Na verdade, foi o senhor Marcelo Portugal Gouvêia [ex-presidente, morto em 2008]?, disse ele.

Casares não recuou e seguiu atacando. ?Faça o que quiser. Eu respeito os sócios. O senhor, como vereador, ficou submisso às vontades do Executivo e aprovou benesses ao Itaquerão. E vamos discutir em alto nível no Conselho?, disse o diretor de comunicação.

Marco Aurélio Cunha foi acusado por Casares de tentar antecipar o processo eleitoral do São Paulo, marcado para o primeiro semestre de 2014. No bate-boca, ele pediu que o debate se desse imediatamente. Segundo o diretor, o opositor está tentando discutir questões internas pela imprensa, o que seria prejudicial ao clube.

Além disso, Casares pediu respeito a Marco Aurélio, que respondeu de maneira ríspida. ?Eu respeito mais que o senhor, porque eu não fico puxando o saco dele?, disse o ex-diretor remunerado.

EM BAIXA NO SP, GANSO DIZ TER FALADO COM AUTUORI E ESPERAR CHANCE

fato de Paulo Henrique Ganso ser reserva do São Paulo foi motivo de espanto e curiosidade para os jornalistas e torcedores portugueses. Tentavam entender porque um jogador com a qualidade do meia, que já vestiu a camisa da seleção brasileira, não era aproveitado. Durante a vitória contra o Benfica, Paulo Autuori fez três substituições, mas não colocou o camisa 8 em campo. Dias antes, o treinador havia revelado que teve uma conversa com o atleta em que buscava entender seu baixo rendimento.

Após a partida contra o Benfica, o meia são-paulino comentou sobre essa reunião com o treinador. ?Ele falou para eu treinar bastante para que, quando eu entrar em campo, eu possa aproveitar as chances?.

Depois que Casares desligou, Marco Aurélio Cunha bateu ainda mais forte. ?Fica claro que o Julio está encenando. Ele fala alto. Não perdi minha tranquilidade aqui. A versão que ele deu do conflito lamentável, não partiu dos sócios. Não foram os sócios que permitiram discurso de organizadas dentro do clube?, disse o opositor, provável candidato a sucessor de Juvenal Juvêncio, que se estendeu.

?Essa versão é importante. Eu não estava lá, mas os relatos de todos os sócios contam a história como foi. Se ele conseguir dizer e provar isso, eu estou errado?, concluiu Marco Aurélio Cunha.

Fonte: UOL