Mineirinho posa com Medina e agradece pelo título

Após esse segundo título Brasil é considerado o "País do surfe"

O ano não começou bem para Adriano “Mineirinho”, ele perdeu para o amigo Ricardo de Souza ainda em janeiro, mas foi encerrado da melhor forma possível.

Adriano de Souza, o Mineirinho, é campeão mundial de surfe na 11 etapa do circuito mundial em Pipeline no Havaí (Crédito: David Abramvezt)
Adriano de Souza, o Mineirinho, é campeão mundial de surfe na 11 etapa do circuito mundial em Pipeline no Havaí (Crédito: David Abramvezt)

Campeão mundial após dez anos de incessante busca, com direito ao caneco do prestigiado Pipe Masters, no Havaí, Mineirinho era o retrato da mais pura alegria ao longo da quarta-feira de calor e sol, na ilha de Oahu. O sentimento era tão forte que o surfista de 28 anos sorria sem parar, escancarando um estado de êxtase.

Gabriel Medina entrega o troféu de campeão mundial para as mãos de Mineirinho (Crédito: David Abramvezt)
Gabriel Medina entrega o troféu de campeão mundial para as mãos de Mineirinho (Crédito: David Abramvezt)


Esta foi a primeira vez que dois brasileiros disputaram a final da etapa de Pipeline do Circuito Mundial de Surfe. Independentemente do resultado, o confronto por si só já foi positivo para o Brasil, que vê seu respeito crescer no esporte como o novo "país do surfe". É importante lembrar que Ítalo Ferreira ainda foi eleito o novato do ano.

O título mundial de Mineirinho confirma a boa fase brasileira sobre as ondas, mostrada pela primeira vez no ano passado com a conquista de Medina. O surfista, por sinal, ainda ficou com a Tríplice Coroa Havaiana graças à pontuação nas três competições de Oahu, no Havaí: Haleiwa, Sunset Beach e agora o Pipe Masters.

Fonte: Com informações da Uol