Musa revela homossexualismo no vôlei

A jogadora contou que existe um hábito feminino de uma olhar os seios das outras no vestiário.

Uma das musas da seleção italiana de vôlei, Francesca Piccinini não é só uma bela jogadora. Ela adora causar polêmica. Em 2005, depois de fazer um calendário sensual para uma revista, a atacante disse que posa por prazer, desfila por dinheiro e joga por profissão. Em entrevista ao programa da TV local "Le Iene Show", Picci, como é chamada pelos fãs, confessou ter feito sexo com o namorado vestido com o seu uniforme do Bergamo, clube que defende, e revelou existir homossexualismo no vôlei. E foi mais além...



A italiana disse não ter nada contra as jogadoras que são homossexuais e contou que existe um hábito feminino de uma olhar os seios das outras no vestiário.

- Eu sou a que tem os menores - garantiu ela.

No entanto, Piccinini fez questão de frisar que gosta de homem. Durante a entrevista, noticiada no site "Volleyball.it", ela não se esquivou das perguntas sobre sexo e contou algumas intimidades, como a compra de ?mimos? e vibradores, além de fetiches com carros e elevadores.

A parte constrangedora ficou por conta da relação com a modelo italiana Elenoire Casalegno. Esta namorou, em momentos distintos, o DJ Ringo e o cantor Osmar Pedrini. Ambos, porém, a deixaram por Piccinini. Os boatos que rolam na Itália é que a jogadora de vôlei ?roubou? os dois de Casalegno, situação que é negada pela atacante. Mas ela deixa a polêmica no ar...

- Eu não roubei homem de ninguém. Eles estavam lá... isso é errado? Ultimamente, sei que Casalegno me odeia, mas não entendo o motivo.

- Não gosto de ser amarrada na cama. Certa vez, fiz sexo com meu namorado vestindo meu uniforme completo. Camisa, short, joelheiras, tudo...

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com