Na despedida da Série B e do técnico Dorival Jr., Vasco perde para o Ipatinga

Vitória por 2 a 0 garante Tigre na Segunda Divisão.

/

O sábado no Ipatingão foi de despedidas para o Vasco. O time fez sua última partida na Série B para cumprir tabela. Campeão, contando as horas para a volta à Série A, entrou com um time misto diante do Ipatinga, que brigava para permanecer na segunda divisão e saiu comemorando com a vitória por 2 a 0, gols de Amilton e Thiago Mathias (de pênalti), no segundo tempo. O fraco jogo marcou os últimos momentos no clube do técnico Dorival Júnior, que anunciou na sexta-feira sua saída do comando cruzmaltino.

Ainda sem destino, Dorival Júnior deixa o Vasco com derrota (a segunda consecutiva), mas também com o título e campanha impecável: 76 pontos ganhos, com 22 vitórias, dez empates e seis derrotas nas 38 partidas disputadas pela Série B. Além de Dorival, o Vasco deve perder também o atacante Elton, artilheiro da competição com 17 gols ao lado de Rafael Coelho, do Figueirense. Outros jogadores, observados nesta partida, devem compor a barca que será anunciada nos próximos dias com vistas à reformulação do elenco para a temporada de 2010.

Mesmo com o resultado ruim, a torcida vascaína sente alívio e desejo de "até nunca mais" à Série B. Na próxima semana, o presidente Roberto Dinamite e a diretoria devem escolher o novo treinador, que terá sua lista de prioridades para reforços e dispensas. O clube sonha com um 2010 de conquistas, sem sustos.

Terça-feira, o Vasco deve acertar a permanência do volante Nilton, uma das prioridades. Alguns jogadores testados na partida deste sábado, se dependerem da atuação, estão com os dias contados. Como os zagueiros Dedé e Rafael Morisco, o meia Magno e o volante Mateus. Os atacantes Adriano e Robinho correm risco.

O zero a zero do primeiro tempo foi justíssimo. Numa partida arrastada, sobrou sonolência e faltou emoção e lances bonitos para animar quem se aventurou a ir ao Ipatingão. O time da casa, que entrou interessado na vitória para livrar de vez as chances de ser rebaixado para a Série C, desde o início repetiu os erros que o levaram à campanha ruim na Série B: falta de criatividade, toques laterais em excesso, sem qualquer objetividade, erros nos passes, poucos chutes a gol, defesa vulnerável.

Mesmo com o título já conquistado na Série B, um time misto e o clima de despedida, principalmente do técnico Dorival Júnior, o Vasco ao menos tentou assustar. Logo aos três minutos, o lateral Fágner roubou uma bola no meio-campo, avançou pela direita, tabelou com Adriano e bateu cruzado, para fora. Aos nove, em centro da esquerda, Fumagalli pulou mais alto que a defesa do time mineiro e testou para o chão. A bola ainda quicou antes de o goleiro João Carlos fazer grande defesa, apesar de o lance, bonito, não valer mais - havia sido marcada falta na jogada.

O primeiro lance do Ipatinga que se possa dizer bem tramado - com ressalvas - ocorreu aos 13 minutos, justamente pelos dois jogadores mais esforçados e velozes. Começou pela esquerda, com Marinho Donizete, e foi concluída por Diego Silva, que pela direita, após jogada individual, bateu cruzado para fora.

A partir dos 25 minutos, quando o time do Ipatinga ficou sabendo do gol do Guarani na partida contra o Juventude, a partida ficou ainda mais arrastada. Com a vitória parcial do Bugre, a equipe mineira nem dependia mais de vitória ou empate para permanecer na Série B - não teria mais como ser ultrapassada pelo Juventude. Isso foi o suficiente para a ensaiada velocidade virar total marasmo.

O Vasco seguia com seu time misto procurando mostrar serviço para o próximo treinador do clube, que poderia já estar assistindo à partida. Os laterais Fágner e Pará queriam jogo e se esforçavam em fazer boas jogadas ofensivas pelas laterais. Pelo meio, Fumagalli e Alex Teixeira procuravam municiar, sem sucesso, o atacante Elton, que brigava para se isolar na artilharia do campeonato e se separar de Rafael Coelho, também com 17 gols.

O time só voltou a chutar a gol aos 36 minutos, quando Nilton cobrou uma falta com relativa força, mas nas mãos de João Carlos. A melhor jogada da equipe foi individual de Alex Teixeira, aos 43, quando entrou driblando e foi derrubado por Max, que fez falta dura e levou cartão amarelo.

- Estamos tristes pela saída do Dorival. Queremos muito vencer essa última partida e dedicá-la a ele, por tudo que passamos aqui juntos no Vasco. E também para a torcida, que está nos apoiando aqui também - afirmou o volante Nilton na volta para o segundo tempo,

Gols do Tigre

Com Jefferson no lugar de Fumagalli no Vasco, Evandro no de Reina e Amilton no de Márcio Diogo, no Ipatinga, o segundo tempo começou com 25 minutos de intervalo - o clube mineiro e o Juventude travavam duelo de atrasos para um levar vantagem de saber o resultado do outro. E depois de o segundo gol do Guarani no Brinco de Ouro ser anunciado, o Ipatinga teve outra alegria. Aos 13 minutos, Amílton aproveitou a bobeada de Rafael Morisco, roubou a bola pela direita e bateu sem defesa para Tiago: 1 a 0.

Dorival Jr. mexeu no Vasco: pôs Robinho no lugar de Adriano, e o atacante, que luta para se manter no clube em 2010, cobrou falta rente ao travessão aos 22 minutos. Três minutos depois, Magno, outro que está sendo observado, cometeu pênalti infantil em Amilton. Thiago Mathias cobrou com categoria, sem defesa para Thiago, e fez 2 a 0 para o Ipatinga aos 27 minutos, garantindo a permanência do Tigre na Série B independentemente do resultado de Guarani x Juventude.

No fim do jogo, Elton ainda tentou marcar o gol que o isolaria na artilharia, mas sem sucesso. De qualquer forma, já havia feito a sua parte na competição.

Fonte: AE