Na volta de Ronaldinho Gaúcho, artilheiro Damião marca e Seleção bate Gana: 1 a 0

Na volta de Ronaldinho Gaúcho, artilheiro Damião marca e Seleção bate Gana: 1 a 0

Leandro Damião brilhou ao anotar o único gol da vitória da Seleção Brasileira

Sem brilho, a Seleção Brasileira reencontrou as vitórias. Nesta segunda-feira, a equipe comandada pelo técnico Mano Menezes derrotou Gana pelo placar de 1 a 0, em amistoso disputado no Estádio Craven Cottage, em Londres, na Inglaterra. Em confronto que marcou o retorno de Ronaldinho ao time, quem brilhou foi o artilheiro da temporada de 2011: Leandro Damião. O centroavante do Internacional deixou a sua marca e, agora, soma 36 gols no ano de 2011.

A Seleção Brasileira novamente não convenceu. Contando com o retorno de Ronaldinho e a presença de Leandro Damião novamente como titular, o time sofreu no início do confronto contra Gana até o momento em que Opare acabou expulso. Com um a mais, o time de Mano Menezes encontrou mais espaços e conseguiu abrir o placar justamente com o centroavante do Internacional, que recebeu ótimo passe de Fernandinho, outra opção de Mano Menezes, e finalizou com precisão para vencer a forte, e muitas vezes desleal, marcação de Gana.

Com a vantagem no marcador, o Brasil apenas controlou o resultado durante a segunda etapa. A equipe nacional acumulou erros de passe perto da área africana e não conseguiu dilatar o marcador. Sem receber ameaças no campo defensivo, o time comandado por Mano Menezes apenas segurou o marcador até o final. A principal chance ocorreu aos 39min, quando Ronaldinho deu um cruzamento magistral para Alexandre Pato tocar com estilo para ótima defesa do goleiro adversário. Um raro momento de brilho durante os 45 minutos finais.





Depois de reencontrar as vitórias após dois jogos (empate com o Paraguai, que decretou a eliminação na Copa América, e a derrota para a Alemanha), a Seleção Brasileira volta a campo já na próxima quarta-feira para a disputa da Copa Roca. A equipe, a qual contará apenas com atletas que atuam no futebol nacional, enfrentará a arquirrival Argentina, em Córdoba. Já Gana retomará as atividades somente em outubro, quando enfrentará o Sudão, pelas Eliminatórias para a Copa das Nações Africanas.

Jogo ferve com cartões, pressão e polêmicas

Um primeiro tempo intenso, com faltas, cartões e polêmicas. O jogo era amistoso, mas foi disputado como se fosse uma partida decisiva, em que o futuro das duas seleções estivesse em campo. Foram incontáveis pontapés, seis cartões amarelos, e um vermelho para Daniel Opare, autor de cinco das 14 faltas de Gana, a última delas em uma entrada em Lúcio.

Com um a mais desde os 32min, o Brasil aproveitou e abriu o placar já no final, aos 44min, quando Fernandinho deixou Leandro Damião na cara do gol. Como um legítimo camisa nove, o colorado finalizou forte, cruzado. Antes, Damião já havia balançado as redes por cobertura, mas o árbitro apontou impedimento duvidoso.

Até sair o gol, o Brasil apresentava um rendimento irregular, principalmente na primeira metade, quando Gana teve mãos chances e chegou a colocar pressão no embalo da barulhenta torcida que dividiu o Estádio Craven Cottage com os brasileiros. Lúcio, por ter sofrido a falta que originou a expulsão de Opare, foi ostensivamente vaiado cada vez que tocava na bola.





O Brasil perdeu Paulo Henrique Ganso, com dores musculares, logo aos 9min do primeiro tempo. Seu substituto Elias mal entrou e levou um cartão amarelo, inaugurando a série de advertências impostas pelo árbitro Mike Dean. Fernandinho, o melhor em campo ao lado de Damião, recebeu o outro amarelo brasileiro na 1ª etapa.

De volta à Seleção Brasileira, Ronaldinho deu passes, se movimentou, mas assustou mesmo só em cobranças de falta. Neymar cresceu de produção na segunda metade do período, quando o Brasil conseguiu trocar mais passes e esfriar o alto ritmo imposto por Gana. Depois de um começo inseguro, principalmente pela direita, a defesa brasileira também dominou os ganenses e a vitória parcial foi justa.

Gana abdica do ataque, e Brasil controla resultado até o final

A desvantagem numérica de Gana permitiu a Mano Menezes ousar no retorno dos vestiários. O treinador da Seleção Brasileira sacou o meio-campista Fernandinho, autor da assistência para o gol de Leandro Damião, e colocou em campo o atacante Hulk. Com o jogador do Porto em campo, o time pentacampeão mundial ensaiou um inédito 4-2-4, com apenas Lucas Leiva e Elias no setor de meio-campo; enquanto Ronaldinho, Neymar e o próprio Damião faziam companhia ao atleta do clube português no setor ofensivo.

Logo aos 4min, Hulk recebeu com liberdade pela direita e cruzou na medida para Leandro Damião. Entretanto, o centroavante do Internacional não acreditou na falha do zagueiro adversário e furou no momento da finalização. O momento acabou sendo o único contundente da Seleção durante a segunda etapa no amistoso desta segunda-feira.

Com o adversário abdicando do ataque, sequer buscando contra-golpes para surpreender a defesa brasileira, o time de Mano Menezes controlou a posse de bola no campo ofensivo durante a maior parte da etapa complementar, mas não conseguiu superar a barreira criada pelos africanos. Gana, por outro lado, se refugiou na defesa e apenas observou os sul-americanos trocarem passes sem perigo.

A principal oportunidade do Brasil acabou criada aos 39min do segundo tempo. Com liberdade, Ronaldinho dominou pelo lado esquerdo e cruzou a bola na cabeça de Alexandre Pato. O atacante do Milan tocou com estilo de cabeça e obrigou o goleiro adversário a protagonizar uma linda defesa, impedindo o time sul-americano de ampliar o marcador no amistoso disputado nesta segunda-feira.

Fonte: Terra, www.terra.com.br