No duelo de interinos, Santos vence por 2 a 0 no Estádio Morumbi e aumenta crise do São Paulo

No duelo de interinos, Santos vence por 2 a 0 no Estádio Morumbi e aumenta crise do São Paulo

Apesar do pouco público no Estádio do Morumbi, o jogo até começou movimentado, principalmente pelos erros dos dois times.

Em mau momento no Campeonato Brasileiro, São Paulo e Santos ainda estão com técnicos interinos. Mas o time do Morumbi mostrou neste domingo que está pior: em casa, perdeu para os rivais por 2 a 0, viu a pressão no clube aumentar e ainda aguentou gritos de "olé" da própria torcida. Para comprovar que a fase é difícil nos dois lados os santistas e são-paulinos agora estão com oito pontos em seis jogos disputados na competição.

Apesar do pouco público no Estádio do Morumbi, o jogo até começou movimentado, principalmente pelos erros dos dois times. O Santos teve a melhor chance em uma jogada que Neilton tentou em cobrir Rogério Ceni. Já o São Paulo quase marcou de cabeça com Lúcio, aos 10min.

Aos poucos, porém, o jogo começou a ficar mais feio e truncado. O São Paulo ainda conseguiu manter a posse de bola e criar algumas chances, mas Luís Fabiano desperdiçou as melhores. Em apenas três minutos, ele teve exatamente três oportunidades de frente para o gol, mas irritou a torcida ao errar todas finalizações.

O time mandante começou aparentemente melhor no segundo tempo: Jadson teve até uma grande chance aos 8min, mas chutou para fora. O técnico Claudinei Oliveira percebeu isso, colocou Giva no lugar de Willian José, em substituição que deu certo no minuto seguinte: após cruzamento de Montillo, o jovem santista apareceu na área para abrir o placar.

O interino Milton Cruz também apelou para substituições, com as entradas de Aloísio e Maicon, mas desta vez as trocas trouxeram pouco resultado. O Santos recuou e até passou a dar espaço para os são-paulinos, mas mesmo assim marcou de novo. E mais uma vez de cabeça: após cruzamento pela esquerda, Cícero apareceu sozinho na área para finalizar e acabar com a esperança tricolor.

Era o que bastava para que a torcida são-paulina perdesse a paciência de uma vez por todas: os tricolores cantaram "olé" para o toque de bola dos rivais, chamaram os jogadores de "sem vergonha" e mais uma vez pediram a contratação de Muricy Ramalho, que estava exatamente no Santos.

Fonte: Terra