No reencontro com a torcida, Adriano faz gol, e Fla vence

Com o resultado, o Flamengo pula para sete pontos e está na sexta posição no Brasileirão

Festa com roteiro perfeito para os rubro-negros cariocas no Maracanã: confirmação do Rio de Janeiro como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, vitória do Flamengo, estreia e gol de Adriano. Com participação efetiva do Imperador, o time da Gávea fez 2 a 1 no Atlético-PR, pela quarta rodada do Brasileirão, e levou a loucura os 71.762 torcedores presentes ao estádio, que assumiram o lado suburbano do atacante e celebraram com gritos de ?Favela, é festa na favela!?. Antonio Carlos, contra, e Rafael Moura completaram o placar.



Com o resultado, o Flamengo pula para sete pontos e está na sexta posição no Brasileirão, enquanto o Atlético-PR, com apenas um, é o vice-lanterna. No próximo domingo os cariocas vão até o Recife encarar o Sport, às 16h, na Ilha do Retiro. Já o Furacão recebe o Atlético-MG, no mesmo dia e horário, na Arena da Baixada.

Imperador participativo e gol contra

No embalo da festa da torcida para Adriano, o Flamengo começou a partida marcando no campo de ataque e com os laterais avançados. Logos aos dois minutos, a primeira chance: Juan levantou a bola no segundo pau e Léo Moura escorou forte de cabeça. Vinícius fez grande defesa. O Atlético-PR tentou dar o troco com Rafael Moura, que avançou pelo meio, aos cinco, e chutou de longe. Bruno ficou com a bola sem dificuldade.

Dois minutos depois Juan mais uma vez apareceu bem. O lateral-esquerdo cruzou a meia altura, Emerson furou e Adriano escorou de barriga para fora. Aos nove mais uma vez o Imperador concluiu com perigo. Dessa vez, porém, a jogada começou pela direita com Willians. O volante foi ao fundo e cruzou na medida para Adriano testar firme para o chão. Vinícius apareceu bem novamente.

Adriano seguia sendo o centro das atenções da partida, até mesmo nos lances contra o Flamengo. Aos 13, ele perdeu a bola na intermediária e Rafael Moura levou perigo. O atacante do Furacão invadiu a área e bateu cruzado. Bruno fez a defesa. Dois minutos depois, o primeiro gol do Flamengo. Pela terceira vez Juan chegou livre ao ataque pela esquerda e cruzou buscando Adriano. A bola, no entanto, não chegou ao Imperador. Antonio Carlos apareceu no meio do caminho e fez contra.

O gol fez com que o Flamengo e Adriano diminuíssem o ritmo. Aos 20, Kleberson chutou de canhota de fora da área e o goleiro paranaense fez a defesa sem dificuldade. Parado no ataque, Adriano praticamente só observava o desenrolar do jogo no meio-campo sem muitas oportunidades de gol para os dois lados. Aos 28 ele reapareceu, e bem, com um passe para deixar Toró na frente de Vinícius. O volante chutou forte e o goleiro defendeu.

Foi a última boa jogada da primeira etapa, que ainda teve Marcinho arriscando de longe para o Furacão, aos 36, mas sem perigo, com um chute nas alturas. Na saída para o intervalo, todos os microfones para Adriano, que avisou:

- Estou animado. Vou voltar para o segundo tempo.

"Festa na favela"

E realmente o Imperador voltou animado. Logo no primeiro minuto, o momento mais esperado: Léo Moura partiu em velocidade pela direita e cruzou na medida. Bem colocado no segundo pau, Adriano se deslocou e cabeceou firme, sem chances para Vinícius. Gol do Imperador, e a torcida soltou o grito: ?Favela, é festa na favela?, em alusão ao retorno do jogador ao Rio de Janeiro para ficar próximo da comunidade onde nasceu, a Vila Cruzeiro.

No lance seguinte a galera novamente foi ao delírio com um corte de carrinho do Imperador na defesa. Mesmo fora de forma, o atacante era responsável pela maioria das jogadas ofensivas do Flamengo. Aos nove, ele deu um bom passe de calcanhar para Emerson, que demorou para finalizar e foi desarmado.

E a parceria com o Sheik deu certo. Aos 11, Adriano cruzou no segundo pau para Emerson cabecear para fora. Do lado do Atlético-PR, o paraguaio Júlio dos Santos era o destaque e aos 12 chutou forte de longe. Bruno deu rebote, mas se recuperou e com o pé direito evitou a conclusão de Rafael Moura, em lance similar ao que protagonizou com Nilmar, do Internacional, pela Copa do Brasil.

Aos 15, foi a vez do paraguaio assustar em cobrança de falta. Os lances animaram o Furacão, que diminuiu aos 24. Márcio Azevedo fez boa jogada individual e foi derrubado por Toró na área. Pênalti marcado e convertido por Rafael Moura, com direito a paradinha.

O gol paranaense levou o Fla ao ataque. Aos 26, Adriano invadiu a área pela direita, cortou para o meio e rolou para Léo Moura. O lateral emendou de primeira sem direção, Emerson desviou no meio do caminho, e Vinícius salvou com os pés. No lance seguinte, o Imperador serviu Juan, que chutou em cima da zaga.

Depois disso o que se viu foi um Atlético-PR tentando empate de forma desordenada no ataque, enquanto o Flamengo se mandava em contra-ataques, como os que levou perigo ao gol de Vinícius aos 43 e 44. Primeiro, Adriano recebeu de Ibson e foi desarmado na pequena área por Chico. Depois Everton recebeu passe do Imperador, que jogou os 90 minutos, e chutou cruzado para fora.

Foi o ato final de uma festa perfeita para os rubro-negros do Rio de Janeiro.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com