Nos pênaltis, Santos vence Palmeiras

A partida valendo o título será às 10h de segunda-feira, dia do aniversário da cidade, no Pacaembu

A Copa São Paulo de Futebol Júnior será decidida pela primeira vez em um San-São. Com uma vitória sobre o Palmeiras na disputa por pênaltis, após empate por 3 a 3 no tempo regulamentar, o Santos chegou à final contra o São Paulo, que eliminou o Juventude na outra semifinal, disputada na sexta-feira. Alan Patrick, Renan Mota e Tiago marcaram os gols que davam a vitória por 3 a 1 até os 42 minutos do segundo tempo. Patrick (duas vezes) e Gabriel Silva fizeram para os alviverdes. A partida valendo o título será às 10h de segunda-feira, dia do aniversário da cidade, no Pacaembu. Os ingressos já estão à venda. O São Paulo, campeão em 1993 e 2000, busca seu terceiro título no torneio, enquanto o Santos tenta repetir o feito de 1984. Até então invicto nesta Copinha, o Palmeiras viu escapar a possibilidade de conseguir seu primeiro troféu. Veja a tabela da fase mata-mata da Copa São Paulo Aproveitando o apoio da maioria da torcida no estádio Professor Luiz Augusto de Oliveira, em São Carlos, o Palmeiras criou as melhores oportunidades no primeiro tempo. Mas parou sobretudo nas boas defesas do goleiro Rafael, um dos destaques em campo, em chutes de Christian e Ramos. O Santos, apresentando um bom toque de bola, abriu o placar aos 25 minutos. Alan Patrick cobrou falta da entrada da área com categoria: a bola bateu no travessão e entrou. Foi o quarto gol do jogador nos últimos três jogos do Santos na Copinha. - O Alan teve a felicidade de acertar o ângulo, e estamos segurando aqui atrás. A torcida é quase toda do Palmeiras, mas estamos suportando a pressão - disse o goleiro Rafael, na saída para o intervalo. O jogo continuou aberto no segundo tempo, com o mesmo panorama: o Palmeiras tentava pressionar, apesar de certa lentidão no meio-campo, e o Santos levava perigo em contra-ataques. Aos 21 minutos, veio o segundo golaço do time da Vila. Renan Mota recebeu passe de calcanhar de Alan Patrick e soltou uma bomba no ângulo direito do goleiro - e a bola, mais uma vez, bateu no travessão antes de entrar. O Palmeiras reagiu rapidamente, beneficiado pela expulsão de Alan Fernando aos 25. E chegou ao gol três minutos depois de ficar com um jogador a mais em campo. Patrick arriscou chute de longe, e a bola passou por cima do goleiro Rafael, em sua primeira falha na partida. Aos 37 minutos, Tiago fez 3 a 1 para o Santos, chutando mesmo desequilibrado, e deu a impressão de que acabaria com a reação do rival. A torcida santista chegou a gritar "eliminado". No entanto, o Palmeiras continuou atacando e conseguiu o empate com dois gols nos últimos minutos. Gabriel Silva fez aos 42, em chute de fora da área, e Patrick marcou de peixinho aos 44. A partida foi encerrada de maneira inusitada: o árbitro Alessandro Darcie desarmou um jogador do Palmeiras, pegou a bola e apitou. Nos pênaltis, Alan Patrick, Alemão, Tindurim, Tiago e Renato marcaram para o Santos. Francinei, Gilsinho, Gabriel Silva converteram as cobranças do Palmeiras. Ramos chutou para a defesa de Rafael.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com