O amor está no ar nos clássicos do futebol da Inglaterra

O amor está no ar nos clássicos do futebol da Inglaterra

a alegria de uma vitória importante é capaz de amolecer os mais duros corações

Ah, a alegria de uma vitória importante é capaz de amolecer os mais duros corações. Perguntem a Gary Neville...

Parecia que estava tudo definido no Campeonato Inglês. O Chelsea, com quatro pontos de vantagem e mostrando melhor futebol, tinha jeito de campeão. Para usar uma expressão da língua de Sheakspeare, carregava todo o ?momentum? para levantar a taça. O Arsenal, preferido da imprensa, ainda sonhava. Caindo pelas tabelas, o Manchester United estava relegado a uma das vagas na Liga dos Campeões.

Bem, um fim de semana na Terra da Rainha pode mudar muita coisa.

A maré começou a mudar no clássico de Manchester. O United havia eliminado o City na semifinal da Copa da Liga com um gol de Wayne Rooney aos 44 minutos do segundo tempo. No primeiro turno, protagonizou a melhor partida do campeonato em Old Trafford contra o rival e venceu por 4 a 3 com Michael Owen definindo o placar aos 51 da etapa final.

A torcida da parte azul de Manchester, que não ganha um troféu desde 1968, teve de agüentar mais um desgosto. Paul Scholes, de cabeça, deu a vitória para os Diabos Vermelhos de novo nos acréscimos. Foi jogo sem grandes emoções. As melhores chances foram do United e o City teve domínio territorial. Até que o ruivo camisa 18 decidisse o confronto.

Foi quando Neville protagonizou a cena da rodada. Ficou tão feliz com o resultado, mas tão feliz que tascou um beijo no companheiro. Sem comentários...

O time de Sir Alex Ferguson chegou aos 77 pontos, mas o líder Chelsea ainda jogaria contra o Tottenham. E não viu a cor da bola em White Hart Lane. O placar de 2 a 1 não diz o que foi o confronto. Se o atacante russo Pavlyuchenko não tivesse feito inveja a Kléber Pereira na capacidade de perder gols, os Azuis teriam tomado uma goleada considerável. Foi tarde tão ruim que Drogba conseguiu sentir lesão muscular antes de dar o pontapé inicial para o segundo tempo, sozinho. Detalhe: Carlo Ancelotti já tinha feito as três substituições. Bizarro. O Chelsea empacou nos 78 pontos e faltam três rodadas para acabar.

O Arsenal entrou em campo no domingo contra o Wigan e abriu 2 a 0. Estava com tudo para chegar aos 74 pontos. Mas conseguiu levar três gols nos dez minutos finais e está fora da briga pelo título.

Fonte: Yahoo