"Obrigado pelo carinho. Agora eu sou Mengão", grita Ronaldinho

"Obrigado pelo carinho. Agora eu sou Mengão", grita Ronaldinho

Ronaldinho veste pela primeira vez a camisa rubro-negra diante de um mar vermelho e preto na Gávea

Parecia comemoração de título. Ronaldinho Gaúcho conseguiu transformar uma quarta-feira comum, uma tarde qualquer, em dia de festa memorável para os rubro-negros. Com o gramado da Gávea escondido por um mar vermelho e preto, o novo camisa 10 falou pela primeira vez à sua nova nação.

- Obrigado pelo carinho. Queria dizer que espero retribuir tudo isso. Vamos com tudo. Nação, estou fechado com vocês. Agora eu sou Mengão - gritou.

Ronaldinho chegou ao palco às 17h20m, cercado de seguranças, passando com muita dificuldade pela arquibancada. Depois do sufoco, abraçou o sambista Dudu Nobre, que puxou o coro de "que torcida é essa" e o famoso "vai começar a festa". No palco, Vagner Love também girava a camisa e cantava. A primeira a falar foi a presidente Patrícia Amorim, bastante emocionada.



- Obrigado, nação rubro-negra. Não tenho nada para falar, a festa é dele - disse a dirigente, pouco antes de colocar a mão no coração do jogador, tentando medir a euforia do astro.

Foram mais de quatro horas de êxtase na sede. Segundo estimativas da polícia, havia 20 mil torcedores no local. O clube foi aberto ao público às 14h, e houve momentos de tensão. Pouco antes das 15h, um dos portões próximos ao gramado foi derrubado por torcedores que forçavam a entrada. A imagem da TV mostra quatro policiais e três seguranças do clube tentando segurar a porta, sem êxito.

Apesar do incidente, o clima continuou festivo. O cantor Ivo Meireles comandou a massa e pediu uma ola "para o mundo inteiro ver a força da torcida do Flamengo". Foi prontamente atendido.

Do alto de um prédio ao lado do clube, um torcedor resolveu abrir uma bandeira do Vasco. A vaia foi imediata, com gritos de "segunda divisão".

Os que temiam chuva viram um fim de tarde ensolarado, aquecendo ainda mais o clima. Por volta das 17h ainda havia gente entrando no clube, com complicações no trânsito do entorno da Gávea.

Vagner Love, que deixou o Flamengo no meio da temporada passada, foi prestigiar a festa. O atacante do CSKA ouviu o de sempre: torcedores pedindo seu retorno.

- Queria estar aí jogando com o meu padrinho (Ronaldinho). Não sei quando vai ser. Espero que um dia aconteça - respondeu o jogador, em entrevista ao Sportv.

A saída não foi fácil. O público deixou o local pelo portão da Rua Mário Ribeiro, de grande movimentação de veículos em direção à Lagoa Rodrigo de Freitas. Um motociclista atropelou um torcedor e caiu, mas sem ferimentos graves para ambos.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com