Oposição vê Santos culpado no caso Neymar e aciona Justiça

Oposição vê Santos culpado no caso Neymar e aciona Justiça

A oposição santista se espelha na justiça espanhola para apurar a misteriosa negociação de Neymar.

Assim como ocorreu na Espanha, a transferência de Neymar para o Barcelona deve ser investigada no Brasil. Isso porque Orlando Rollo, membro do grupo de oposição do Santos, já acionou os advogados para abrir um inquérito na Polícia Federal e um procedimento jurídico no Mistério Público Federal.

"Estou com meu advogado aqui do lado e estamos estudando a ação que vamos tomar, pois é um pouquinho complexa. Vamos entrar com procedimento junto à Justiça Federal, Ministério Público Federal e Polícia federal, justamente para se investigar o crime de evasão de divisas (desvio de dinheiro)", afirmou Orlando Rollo.

Rollo, que foi vice-presidente do Conselho Deliberativo do clube na primeira gestão do presidente Luis Alvaro de Oliveira, entre 2010 e 2011, considera a diretoria do Santos culpada pela transação polêmica. Para o oposicionista, o Comitê Gestor falhou por ação ou omissão.

"A opinião que tenho sobre o Comitê Gestor é a seguinte: eles são culpados. Cabe agora o Conselheiro Deliberativo e a justiça definirem se eles são culpados por ação ou omissão. Omissão por deixarem o Santos sofrer esse verdadeiro cambalacho, pois isso evidencia a incompetência administrativa deles. Se for esse acaso serão culpados por omissão. Agora, se tiverem o envolvimento nesse desvio e, veja bem, eu não estou dizendo que eles têm envolvimento, isso será investigado, mas caso eles tenham, eles serão culpados por ação. Resumindo. Eles têm culpa", disse Rollo.

A oposição santista se espelha na justiça espanhola para apurar a misteriosa negociação de Neymar. No entanto, Orlando Rollo, que renunciou recentemente ao cargo de vice-presidente regional da Federação Paulista de Futebol (FPF), acredita que o Santos dificultará o trabalho da justiça brasileira.

"Se a justiça da Espanha já acatou a denúncia lá. Então existe fundamento para a justiça brasileira também investir. Mas aqui o Santos vai dificultar o máximo. Esconderam até para os conselheiros na divulgação do contrato, imagina com um escândalo mundial. Eles vão brigar para não abrir o contrato. Nós queremos a abertura dos contratos, detalhes das negociações e onde foram efetuados todos os depósitos", explicou.

O Santos diz ter como provar que para o clube chegou "apenas" 17,1 milhões de euros (R$ 54,68 milhões) pelo jogador, que tiveram que ser divididos com a DIS (grupo que tinha direito a 40% dos direitos econômicos). O Ministério Público da Espanha investiga uma denúncia de que o valor chegou aos 74 milhões de euros (R$ 236,6 milhões). Na semana passada, o jornal "El Mundo" divulgou que o valor total chegaria a 95 milhões de euros (R$ 303,8 milhões), incluindo bônus pago ao pai do atacante.

O espanhol Sandro Rosell anunciou a renúncia ao cargo de presidente do Barcelona na última quinta-feira, após a junta diretiva do clube aceitar seu pedido de demissão. Josep Maria Bartolomeu, que ocupava a vice-presidência esportiva, assumiu até o fim do mandato, em junho de 2016.

O comunicado ocorre um dia depois de a Justiça espanhola aceitar a denúncia apresentada pelo sócio do Barcelona Jordi Cases, que aponta apropriação indébita de parte do valor da contratação de Neymar. A transação será investigada, e Rosell confirmou que o caso foi determinante para sua renúncia.

No total, o Barça calcula em 86,2 milhões de euros a soma dos gastos ligados à chegada de Neymar em 2013, sem levar em conta o salário base garantido ao jogador (8,8 milhões de euros anuais).

Por intermédio de sua assessoria de imprensa, o Santos alega que continua acompanhando atentamente todas as informações que vêm da Europa e informa que irá se manifestar ainda nesta semana.

Fonte: UOL