Pai de Neymar explica acordo de € 40 mi com Barcelona e não teme Receita

Após a polêmica sobre os valores da negociação, o então presidente do Barcelona, Sandro Rosell, renunciou na semana passada.

Neymar da Silva Santos, pai do atacante Neymar, convocou a imprensa para explicar a venda do jogador para o Barcelona, em maio do ano passado. Segundo o clube catalão, a empresa N&N Sports, que tem como sócios os pais do astro e estava com a sede fechada na última segunda-feira, em São Vicente, recebeu uma comissão de ? 40 milhões (cerca de R$ 132 milhões) pela transferência. Após a polêmica sobre os valores da negociação, o então presidente do Barcelona, Sandro Rosell, renunciou na semana passada.

Em pronunciamento no escritório da empresa NR Sports, em Santos, o pai de Neymar demorou a explicar o caso e só o fez após um longo discurso sobre a carreira do jogador. Quando tocou no assunto principal, inicialmente explicou que a divulgação do contrato pelo Barcelona foi um pedido dele, e que está tranquilo sobre o pagamento de impostos. Depois, afirmou que não houve pré-contrato com o Barcelona - o que seria proibido pela Fifa em caso de acerto com mais de seis meses antes do fim de um vínculo. Admitiu, no entanto, um acordo com o clube espanhou, que pagou, ainda em 2011, ? 10 milhões para "assegurar" a prioridade na compra do jogador e mais ? 30 milhões quando o negócio foi concretizado. Ou seja, quando Peixe e Barça se enfrentaram na final do Mundial de 2011, a empresa de Neymar já havia recebido o adiantamento. O Santos, segundo Neymar pai, sabia do acordo.

Caso não fosse para o time espanhol, Neymar deveria devolver o adiantamento e ainda pagar ? 30 milhões de multa, que valia também para o caso de o clube catalão desistir do negócio. O agente também disse que temia que o filho sofresse no Brasil se a seleção brasileira fosse eliminada na Copa das Confederações, em 2013, e, por isso, pediu ao Santos que aceitasse a saída do jogador. Confira os principais trechos da declaração de Neymar pai.

Acordo com Barcelona em 2011, comissão e comparação com Ganso

"O Neymar só sairia do Santos para o Barcelona. Se eu falo que fiz um pré-negócio em 2011, iriam falar que ele já estava negociado. Meu trabalho era blindar e potencializar o lucro. Naquele momento, vimos o cavalo selado passar dez vezes. Uma hora pode não dar certo. Nós amamos um jogador: Ganso. É um exemplo. É um dos maiores do mundo. Meu filho e ele cresceram juntos. Mas tiveram histórias diferentes. Hoje o Ganso está em um grande clube, mas não está na Europa e perdeu a chance de se realizar financeiramente. Imagina se acontece o mesmo com Neymar? Perderia ? 40 milhões. O cavalo passou selado para o Ganso, mas ele se machucou e hoje ainda é questionado".

Sem aliciamento, com aval do Peixe

"Os ? 10 milhões não foram para o Neymar, foram para a N&N. Eu tinha a autorização para trabalhar para a N&N. Tenha a certeza que eu tinha a autorização do Santos (segura documento da autorização). O Barcelona não aliciou ninguém. O Barcelona pagou o André Cury (agente representante do Barcelona). Ele tinha que trazer o Neymar e convencer o Wagner (Ribeiro), que o queria no outro clube europeu (Real Madrid). Pagaram o André para isso. Só que todos sabem que o representante do Neymar é o Neymar pai. Eu não faria nada que meu filho não quisesse. Desde os 13 anos ele ficou no Santos falando: "Não quero, não quero (sair do Santos)". Em 2011, todos os clubes queriam pagar a multa. Ninguém quis, nem nós nem o Santos. Eles (diretores do Santos) só recuaram de 2015 pra 2014, deixaram eu trabalhar com os clubes. O Neymar faturava mais de R$ 3 milhões por mês, mas ganhava R$ 150 mil na carteira. Quando você fala do Neymar atleta é uma coisa, mas o acordo de imagem é outra. Minha empresa ganhava R$ 3 milhões, não o Santos".

"Não temo a Receita"

"Eu pedi para o Barcelona quebrar a confidencialidade do contrato, mas é algo que existe para proteger a pessoa física e a família do Neymar. A gente não expõe valores, mas pedi ao Bartomeu para abrir o contrato.

Não devo nada às Receitas da Espanha e do Brasil. Espero que acreditem nestes esclarecimentos. Queremos paz".

Apelo ao Santos para vender Neymar

"Em junho de 2013, o Brasil já tinha escolhido seu herói. Eu, como pai e empresário, sabia que se perdêssemos a Copa com manifestações no Brasil, os estádios seriam quebrados, e o vilão seria o Neymar. Por isso falei ao Laor (presidente do Santos à época) e ao Odilio (atual presidente): permitam que meu filho vá embora. Por favor, é um pedido de pai. Não quero sair com tudo ou nada, mas permitam que o negócio seja realizado. Ele podia sair por zero dinheiro em 2014, e eu teria mais de ? 120 milhões (aproximadamente R$ 396 milhões) sozinho, porque havia propostas de outros clubes nesse valor. Espero que seja a última vez que eu tenha de vir às câmeras esclarecer isso. E que a torcida do Santos fique tranquila".

Futuro de Neymar

"Quero dar paz para o Neymar jogar a Copa do Mundo este ano, livre de especulações. Estamos esclarecendo toda a situação do contrato por causa disso".

Motivos da renúncia de Sandro Rosell

"Também queria saber, mas não sei. Não sei dizer. O que sei é que foi algo pessoal. Você acha que o Barcelona, um time grande, ia querer expor o clube, o Neymar e outras coisas? Ele teve problema pessoal e teve que sair. Tanto que no dia seguinte a confidencialidade não seria quebrada por ele. Eu pedi ao Bartomeu para abrirmos. Fizeram uma reunião com o grupo e colocaram essa situação. Nós permitimos quebrar o sigilo do salário do Neymar e de toda a negociação. Foi a primeira e única vez na história que o Barcelona fez isso".

Entenda o caso

Em entrevista coletiva na última sexta-feira, um dia depois da renúncia de Sandro Rosell, o novo presidente do clube, Josep María Bartomeu, deu detalhes da negociação com o atleta e manteve a versão oficial do clube: foram gastos ? 57,1 milhões (cerca de R$ 188,5 milhões, na cotação atual) para contar com o brasileiro. Porém, o diretor de futebol do clube catalão, Raul Sanllehí, elevou a conta ao considerar também as luvas recebidas pelo craque, as parcerias sociais e de marketing e o acordo de prioridade com o Santos: ? 86,2 milhões (R$ 284,5 milhões).

Com estes números, o ex-santista seria o terceiro jogador mais caro da história, passando Zidane, que em 2001 trocou o Juventus pelo Real Madrid por ? 73,5 milhões. Gareth Bale e Cristiano Ronaldo disputam o posto de mais caro: segundo o Tottenham, o Real pagou ? 101 milhões pelo galês no ano passado, valor superior aos ? 94 milhões que o clube merengue deu ao Manchester United em 2009 pelo português.

Fonte: G1