Palmeiras e São Paulo empatam e se distanciam do topo

Palmeiras e São Paulo empatam e se distanciam do topo

O Palmeiras, que esteve sempre à frente do placar, contou neste domingo com um gol de Daniel Carvalho

O equilibrado e eletrizante clássico entre Palmeiras e São Paulo terminou com um empate por 3 a 3 neste domingo, em Presidente Prudente pela décima rodada do Campeonato Paulista, em partida marcada por um golaço para cada lado. O resultado, entretanto, deixou um rival comum às duas equipes em situação mais do que confortável na liderança da classificação, com quatro pontos sobre os demais adversários.

O Palmeiras, que esteve sempre à frente do placar, contou neste domingo com um gol de Daniel Carvalho, em cobrança de falta, e dois do atacante argentino Hernán Barcos - um deles, em uma linda jogada individual. Já o São Paulo buscou o empate por três vezes com Cícero, Willian José (de pênalti) e Fernandinho - este, o último do jogo, saiu de uma bomba de fora da área, sem possibilidade de defesa para Deola.

O empate manteve a invencibilidade do Palmeiras no Campeonato Paulista, e a equipe alviverde continuou na mesma terceira colocação na qual havia iniciado a rodada - com 22 pontos, assim como o vice-líder Guarani, que leva a melhor no número de vitórias (7 a 6). O São Paulo, que colecionou seu 19º ponto, também se manteve na quinta posição da tabela, agora oito atrás do Corinthians, tranquilo na primeira colocação, com 26.

O Palmeiras, contudo, pôde defender uma série invicta que dura desde o começo de novembro do ano passado, atingindo já 15 jogos oficiais, e manteve uma escrita interessante para o clube em Presidente Prudente: a equipe alviverde nunca perdeu um clássico atuando na cidade interiorana; sendo 12 jogos até agora, com oito vitórias e quatro empates. O São Paulo, por outro lado, continuou sem vencer clássicos em 2012, tendo perdido por 1 a 0 para o Corinthians anteriormente.

O Palmeiras terá outro compromisso no interior paulista na 11ª rodada do Estadual. Na quarta-feira, o time alviverde vai a Lins enfrentar o Linense, em jogo programado para as 22h (de Brasília). Já o São Paulo retorna ao Morumbi, onde receberá o Guaratinguetá às 19h30 de quinta-feira.

Surpresas abrem o clássico:

Luiz Felipe Scolari colocou um Palmeiras diferente em campo neste domingo, com Deola recuperando a titularidade perdida para Bruno no meio de semana, e com três volantes de origem em campo: João Vitor ganhou a vaga do meia Patrik. O camisa 16, porém, atuou um pouco mais avançado dividindo com Daniel Carvalho na armação das jogadas.

E foi justamente a partir de uma chegada ofensiva de João Vitor no ataque que saiu o primeiro gol do clássico, mas com outra pitada de surpresa aos 5min. Casemiro derrubou o volante palmeirense nas proximidades da área, em uma falta muito perigosa. Marcos Assunção, cobrador oficial alviverde, permitiu que o canhoto Daniel Carvalho batesse a falta com mais ângulo e surpreendesse Denis, que havia se colocado atrás da barreira e que demorou para se atirar na bola rasteira e certeira.

O Palmeiras continuou melhor na partida, tirando proveito dos erros de passe tricolores e de Hernán Barcos, realizando bem o papel de pivô entre a zaga adversária. O argentino ainda levou muito perigo a Denis aos 10min, após levar para a canhota dentro da área e chutar com força, obrigado o arqueiro são-paulino a espalmar.

O São Paulo encontrava problemas para se encaixar em campo e cometia muitos erros na saída de bola. A melhor chegada ofensiva dos pupilos de Emerson Leão foi um chute de fora da área do lateral Cortez, que Deola rebateu para escanteio aos 15min. O time tricolor se encaixou depois da parada técnica, quando voltou mais perigoso.

Daniel Carvalho quase ampliou para o Palmeiras aos 26min, com um chute de fora que raspou a trave esquerda de Denis. A jogada pareceu ter acendido o São Paulo, que conseguiu pressionar e enfim empatar o clássico em Presidente Prudente. Lucas já havia exigido uma defesa trabalhosa de Deola aos 30min, mas logo depois o arqueiro alviverde pouco pôde fazer quando Jadson cruzou rasteiro da esquerda e Cícero apareceu na pequena área, entre Henrique e João Vitor, para igualar.

Um belo lance individual, porém, recolocou o Palmeiras em vantagem no marcador instantes depois, aos 37min. Barcos recebeu na área, contou com um escorregão de Paulo Miranda para fazer o drible, cortou Piris e finalizou para um golaço. Denis até encostou na bola, que acabou entrando e definindo o placar do intervalo de um bom clássico, de 19 finalizações (dez palmeirenses, nove são-paulinas) e somente oito faltas (quatro de cada lado).

Melhora são-paulina e empate:

O São Paulo voltou ao segundo tempo com Fernandinho no lugar de Jadson, mas a alteração teve pouca influência no gol que determinou novamente o empate em Prudente logo aos 8min. Cortez invadiu a área e tentou aplicar um chapéu em Cicinho, que, mesmo com cobertura, deixou o corpo, esticou o braço e derrubou o são-paulino. Pênalti assinalado por Wilson Luiz Seneme e cobrado por Willian José, deslocando Deola.

Independentemente do gol, o São Paulo mostrava muito mais disposição que o Palmeiras no segundo tempo e dava trabalho para o setor defensivo do rival. A virada por muito pouco não saiu aos 16min, quando Cícero cobrou uma falta por cima da barreira e acertou o travessão de Deola.

O Palmeiras, contudo, recorreu à bola parada para recuperar a frente na vantagem aos 27min. Juninho cobrou falta da esquerda, a bola atravessou toda a área e encontrou Barcos, sozinho, que dominou e bateu cruzado para anotar o terceiro gol alviverde. Fernandinho, porém, tratou de restabelecer a igualdade instantes seguintes: aos 30min, ele arriscou uma bomba de muito longe com a perna direita e fechou o placar.

O clássico continuou bastante movimentado em Prudente, com boas chances ofensivas dos dois lados. Nenhuma das equipes, contudo, conseguiu colocar a bola no fundo da rede pela quarta vez os dois rivais dividiram um ponto na classificação.

Fonte: Terra