Palmeiras encerra agonia da Série B e mira melhor campanha da história

Palmeiras encerra agonia da Série B e mira melhor campanha da história

Gilson Kleina foi mantido no comando mesmo com o descenso e teve a oportunidade de formar um novo elenco.

O ano de penitência chegou ao fim para o Palmeiras. Com o empate sem gols diante do São Caetano, neste sábado, a equipe alviverde não tem como deixar mais o G-4 da Série B e está de volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro. É o término do martírio pelo qual o torcedor teve que passar desde o empate com o Flamengo por 1 a 1, em 18 de novembro de 2012, quando a queda foi concretizada.

Gilson Kleina foi mantido no comando mesmo com o descenso e teve a oportunidade de formar um novo elenco. A "limpa" contou com a saída de jogadores como Leandro, João Vitor, Daniel Carvalho, Betinho e Obina. Pouco depois, foi a vez de Barcos deixar o time em polêmica negociação com o Grêmio.

Em troca, o Palmeiras recebeu os meio-campista Léo Gago e Rondinelly, o jovem atacante Leandro e o zagueiro Vilson. Os dois últimos se tornaram peças importantes, enquanto os últimos pouco jogaram. Um quinto atleta era esperado, mas ainda não chegou à Academia de Futebol.

Outros jogadores também vieram ao Palmeiras e se tornaram peças importantes, como o atacante Alan Kardec e o goleiro Fernando Prass. Do Libertad foram contratados os estrangeiros Mendieta (paraguaio) e Eguren (uruguaio), que frequentaram a equipe titular em várias oportunidades.

Outro que ganhou espaço foi o prata da casa Luís Felipe, que resolveu o problema da lateral direita - Weldinho e Ayrton eram os nomes da posição, mas foram embora e não deixaram saudades. Para a posição de volante chegou do Cruzeiro Charles, que conseguiu superar problemas físicos.

Os reforços se juntaram a atletas que seguiram importantes ao Palmeiras, como Márcio Araújo, Henrique e Wesley, além de Valdivia, que, quando o corpo permitiu, teve boas atuações. Com um elenco de boa qualidade para o nível da Série B, o time alviverde fez uma campanha sem sustos.

Com o empate deste sábado, o Palmeiras chegou a 69 pontos. São 21 vitórias, seis empates e cinco derrotas em 32 jogos, o que significa um aproveitamento de 71%. A média é inferior ao que o próprio time alviverde produziu em 2003 (74,3%), quando conquistou a segunda divisão, mas sob outro formato.

Caso siga com este ritmo, a equipe de Gilson Kleina terá o segundo melhor desempenho da Série B na era dos pontos corridos, que foi iniciada em 2006. De lá para cá, somente o Corinthians fez mais pontos: em 2008, o rival alvinegro venceu 25 jogos, perdeu apenas três e apresentou um aproveitamento de 74,5%. O Palmeiras ainda tem mais seis partidas para confirmar o título e tomar esse posto para si.

Fonte: Terra