Pavio curto de Guerrero incomoda Zé Ricardo: "É visado por isso"

"Não foi briga pela bola. Tomei uma cotovelada", disse

Contra o Coritiba, Paolo Guerrero fez o quarto gol dele pelo Flamengo no Campeonato Brasileiro, o terceiro jogo seguido sem passar em branco. Mas o camisa 9 também saiu de campo com um cartão amarelo, o quinto dele na competição - continua tendo mais cartões do que gols. O técnico Zé Ricardo considera que o atacante está em evolução, mas anda preocupado e incomodado com os picos de irritação do peruano. 

Image title

Na vitória por 2 a 0 sobre o Coxa, Guerrero recebeu amarelo no primeiro tempo. Numa disputa de bola aos 27 minutos, caiu com a mão no rosto e, muito exaltado, logo se levantou para tirar satisfação com o zagueiro Luccas Claro. Ambos foram punidos com cartão amarelo. Pouco antes, Guerrero e Luccas haviam se enroscado em outra jogada. Em ambas, as imagens mostram que o defensor do clube paranaense deixou o braço.

Ciente do pavio curto do seu jogador, o técnico Zé Ricardo teve que entrar em
ação. Segundo ele, foi preciso ter uma conversa com Guerrero no intervalo da partida. Na análise de Zé Ricardo, os adversários têm tirado proveito dessas reações de Guerrero. Provocá-lo, na visão do técnico, virou um recurso dos rivais.  

- Ele é visado por causa disso. Essas reações dele são recorrentes. Percebi que a reclamação foi muito acintosa. Não sei se houve o toque ou agressão. O jogo foi muito limpo em relação a isso. Mas a reação dele foi acintosa demais. 

Desde que chegou ao Flamengo, no ano passado, Guerrero fez 47 jogos e marcou 17 gols. O número de cartões amarelos, no entanto, ainda é grande. Foram 19 até aqui. 
O Flamengo tem 30 pontos e está em quinto lugar. O próximo jogo será na quarta-feira, contra o Santos, em Cuiabá. O Peixe é o vice-líder, com 32.

Fonte: Com informações do Globoesporte.com