Polícia realizará investigação da morte do ex-jogador Washington

Polícia realizará investigação da morte do ex-jogador Washington

O corpo do ex-jogador será levado nesta segunda-feira para Valença, na Bahia, sua cidade natal, onde será sepultado.

A Polícia Civil de Curitiba vai abrir inquérito para investigar as circunstâncias da morte do ex-jogador Washington, 54 anos, que morreu na madrugada deste domingo, em Curitiba. O artilheiro e ídolo de Atlético-PR e Fluminense, sofria de esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa, já em estado avançado.

Policiais estiveram na casa do ex-jogador, no bairro do Capão da Imbuia, na capital paranaense, e falaram informalmente com familiares, amigos, além do enfermeiro que cuidava dele e o encontrou morto na manhã deste domingo. A reportagem da RPCTV também apurou com familiares que o respirador de Washington caiu durante a noite.

O corpo de Washington passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) na tarde deste domingo e deve ser liberado até o final da tarde. Segundo o delegado, Fábio Amaro, o inquérito será aberto na segunda-feira, e as pessoas próximas a ele ainda serão ouvidas oficialmente. Os exames do IML para ajudar a identificar a causa da morte só devem ficar prontos em 30 dias.

O corpo do ex-jogador será levado nesta segunda-feira para Valença, na Bahia, sua cidade natal, onde será sepultado.

Tricampeão estadual carioca e campeão brasileiro pelo Fluminense, Washington formou com Assis a dupla que ficou conhecida como "Casal 20". A história de sucesso dos dois começou no Atlético-PR em 1982, quando chegaram em uma negociação que envolveu o lateral Augusto para o Internacional de Porto Alegre. No mesmo ano, eles foram os atacantes que deram o título de campeão paranaense ao Atlético-PR. Ainda no Rubro-negro, em 1983, Washington brilhou no Campeonato Brasileiro e levou o Furacão em grande campanha à terceira posição, eliminado nas semifinais pelo Flamengo de Zico, que depois foi campeão.

O bom desempenho no Paraná chamou a atenção do Fluminense, onde Washington foi consagrado com os títulos. O ex-atacante é o nono maior artilheiro da história tricolor, com 120 gols marcados. Defendeu o Flu entre julho de 1983 a fevereiro de 1989. Pela seleção brasileira, disputou cinco jogos, marcou dois gols e ganhou a medalha de ouro nos Jogos Panamericanos de 1987.

O Fluminense e até mesmo o ex-adversário Zico fizeram campanhas para arrecadar dinheiro e custear o tratamento de Washington. Em 2009, o Tricolor promoveu o "Washington Day", cujo objetivo era captar doações, durante vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR. Um mês depois, Zico separou R$ 50 mil da renda de seu tradicional Jogo das Estrelas, disputado anualmente no Maracanã.

Fonte: GloboEsporte