Por falta de apoio, grupo de atletas enfrentam dificuldade

Os atletas irão participar dos Jogos Pan-americanos no Espírito Santo e da Copa Brasil de Triátlon em Manaus

Sem patrocínio, quatro atletas que praticam triátlon estão com dificuldades em participar das competições em que foram classificados e deverão representar o estado do Piauí.

Os atletas irão participar dos Jogos Pan-americanos no Espírito Santo e da Copa Brasil de Triátlon em Manaus, eventos importantes para o esporte. O grupo está tentado arrecadar recursos para ir ao Campeonato Cearense de Triátlon Olímpico, que acontece em Fortaleza, sábado, 02 de agosto.

O treinador da grupo, Rogers Feitosa, conta que fazer esporte no Piaui não é fácil, pois o atleta enfrenta dificuldades como falta de equipamentos, locais adequados para o treino e sem o patrocínio necessário para ir às competições e campeonatos.

"Estou há um tempo treinando com os meninos, acredito no potencial de cada um, eles são muito talentosos. Temos conseguido bons resultados com os treinamentos, foi assim que conseguimos nos classificar para a Copa Brasil e dois de nós para o Pan-americano", explica.

Rogers ressalta que já procurou os órgãos que incentivam o esporte no município e no estado, mas não obteve retorno. "Já mandei ofício para a Semel e a Fundespi pedindo auxílio nas competições, mas não tivemos resposta.

É complicado trabalhar sem algum tipo de ajuda de custo, pois é desmotivante tanto para o atleta quanto para mim. Nem informo a eles sobre essas dificuldades para não tirar a esperança deles", revela o treinador.

"Patrocínio deve ser privado", diz Semel

Para o atleta Arthur Farias, o amor ao esporte é o único motivo de continuar treinando, pois não vê nenhum retorno sem que alguma empresa ou órgão tenham interesse em apoiá-los.

"Só conseguimos ir às competições graças à ajuda da nossa família e amigos que acreditam em nós. Já conseguimos ótimas classificações e esse campeonato no Ceará servirá de preparação para as competições de que iremos participar, já que aqui não temos como simular a competição", afirma.

Um dos atletas do grupo, Paulo Vitor, conseguiu se classificar para ir ao Mundial de Triátlon que aconteceu em Londres ano passado, mas por causa de um acidente durante a prova teve que deixar a competição.

"Se não fosse aquele incidente, Paulo provavelmente estaria no pódio, pois estava em terceiro lugar quando caiu. Ele com certeza era um dos melhores na competição", relembra o treinador Rogers.

Para o secretário de esporte Galba Coelho, o incetivo ao esporte é primordial, mas os trabalhos da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer são voltados ao esporte comunitário com escolinhas, cursinhos, aulas para idosos.

"Recebemos todos os meses vários pedidos de passagens, mas não podemos atender todos, já temos muitos gastos mantendo as escolinhas, cursinhos, eventos para a comunidade.

Para isso, damos o incentivo fiscal às empresas instaladas em Teresina, para que elas tenham essa iniciativa e os impostos serão descontados", explica.

A Fundação dos Esportes do Piaui (Fundespi) informou que no momento estão sem a parceria que tinham para auxiliar os atletas com as passagens aéreas e que agora estão sem condições de ajudá-los com hospedagens e inscrições.

Mas pediu que o grupo compareça a sede da Fundespi com o oficio, para pelo menos conseguir as passagens para os dois campeonatos que ainda vão acontecer.

Por enquanto o grupo viaja esse final de semana para Fortaleza, com ajuda de amigos e familiares, onde competem no Campeonato Cearense de Triátlon Olímpico e em setembro particip

Fonte: Rhauan Macedo