Presidente admite que Vagner Love irá deixar o CSKA

"Depois de oito anos em um lugar você realmente precisa mudar de time’, afirma Yevgeny Giner



O presidente do CSKA Moscou, Yevgeny Giner, parece mesmo propenso a negociar o atacante Vagner Love na próxima janela de transferências, a partir do dia 1º de janeiro. Em entrevista ao jornal russo ?Sport-Express? neste sábado, o mandatário admitiu que não conta mais com o jogador de 27 anos para a sequência do campeonato local e já até procura reforços do mesmo naipe.

? Estamos buscando um atacante que parece ser muito promissor. Não acho que isso deva ter uma conexão direta com o Vagner, pois precisamos de quatro atacantes no elenco de qualquer jeito. Mas realmente temos a intenção de deixá-lo ir. Depois de oito anos em um lugar você realmente precisa mudar de time. As negociações vão começar em novembro, quando entendermos que jogadores estão saindo, o que precisamos mudar e quais problemas teremos de resolver no futuro próximo ? disse Giner.

Em maio deste ano, antes do fim da temporada europeia, o Roma mostrou-se disposto a contratar Vagner Love, que àquela época era um dos grandes sonhos de consumo do Flamengo. O atleta, no entanto, acabou não indo a lugar algum ? os russos chegaram a rejeitar uma oferta de ? 5 milhões (aproximadamente R$ 11,5 milhões) por 70% de seus direitos econômicos do Rubro-Negro. O Porto, após vender o colombiano Falcao García, também foi um dos possíveis destinos especulados.

Vagner Love defende o CSKA desde 2004, quando foi vendido pelo Palmeiras por US$ 9 milhões na ocasião. Em 2008, 2009 e 2010, ele voltou ao Brasil por empréstimo e atuou pelo próprio Alviverde, além de brilhar no Flamengo.

Sobre os prováveis alvos do CSKA, Giner revelou que a filosofia é um tanto diferente da do Anzhi Makhachkala, clube em maior ascensão no país especialmente depois de contratar o camaronês Samuel Eto?o. Mas jogadores de peso também foram procurados.

? A nossa filosofia é diferente de um Anzhi: eles agora estão tentando construir uma equipe ao invés de criar uma base para o futuro. É um bom objetivo, sem dúvida, mas nós, como têm sido veiculado em muitas ocasiões, focamos nos jovens. É muito difícil competir com grandes clubes no continente. Por exemplo, negociamos com Anderson e Nani, mas é extremamente difícil de suportar o Manchester United. Este ano o Barcelona já assinou com um jogador que estávamos interessados. Como você pode competir com clubes como este? ? indagou.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com