Rivaldo marca, Pato não e Corinthians empata com São Caetano, no Pacaembú

Rivaldo marca, Pato não e Corinthians empata com São Caetano, no Pacaembú

Tite troca defensores por atacantes e vê Corinthians arrancar empate após levar virada. Pato jogou sob os olhares da namorada, Bárbara Berlusconi

Se no carnaval do futebol tivesse o quesito ousadia, Tite levaria uma boa nota neste sábado. Não dá para dizer que ganharia um 10, porque o Corinthians empatou por 2 a 2 com o São Caetano, no Pacaembu, pela sétima rodada do Paulistão. Mas se o Timão chegou a esse resultado muito foi pela postura do seu treinador.

Ainda no primeiro tempo, Paolo Guerrero abriu o marcador para o Corinthians. Mas os donos da casa voltaram atrapalhados para o segundo tempo e sofreram a virada: Rivaldo e Danielzinho marcaram. Foi então que Tite decidiu colocar o seu time para frente e tentar a todo custo a virada. Veio apenas o empate.

Todas as três alterações do Timão foram de atacantes entrando nos lugares de defensores. Saíram de campo no segundo tempo os laterais Fábio Santos e Alessandro e o zagueiro Gil para as entradas de Alexandre Pato, Romarinho e Renato Augusto, respectivamente. Dessa forma, os anfitriões sufocaram o Azulão. Mas fizeram apenas mais um gol.

Pato, aliás, tinha mais uma razão para querer marcar. Dentro os 27.774 torcedores que compareceram ao Pacaembu, para uma renda de R$ 920.876,00, estava a sua namorada, Bárbara Berlusconi, filho do presidente do Milan, Silvio Berlusconi. Ao menos ela não foi tão pé-frio a ponto de ver uma derrota do Timão.

O próximo jogo do Corinthians será o clássico contra o Palmeiras, domingo que vem, às 17h, também no estádio do Pacaembu - três dias antes da estreia na Libertadores, contra o San Jose, em Oruro, na Bolívia. Já o São Caetano pega o Bragantino no sábado, às 19h30m, no Anacleto Campanella, no ABC.

Cabeçada certeira

Com 14 minutos de jogo, o lateral-esquerdo Fábio Santos deu um ótimo passe em profundidade para Paolo Guerrero. O peruano, no entanto, não alcançou a bola. Parecia travado. Na volta do lance, colocou as mãos na cintura, como se estivesse cansado e o cronômetro marcasse 45 minutos do segundo tempo.

No futebol, no entanto, as aparências enganam. Paolo Guerrero, herói do Corinthians na conquista do Mundial de Clubes de 2012, no Japão, não fez um grande primeiro tempo. Longe disso. Mas seria ele, mais tarde, o responsável por marcar o único gol da etapa inicial.

O Corinthians dominou com sobras o primeiro tempo. Nem mesmo a presença do pentacampeão Rivaldo no São Caetano fez o time do ABC assustar os donos da casa. A única boa chance do Azulão foi aos 13 minutos, em chute de fora da área de Moradei. O ex-corintiano bateu forte, por cima do gol de Danilo Fernandes.

Apesar da superioridade, o Timão pouco levou perigo. E quando balançou a rede, houve impedimento. Aos 18 minutos, após cobrança de escanteio de Jorge Henrique, Paulo André desviou de cabeça e Gil tocou para o gol. Esse último, porém, estava impedido no momento em que seu companheiro de zaga desviou a bola.

Com os seguidos erros de passe do São Caetano, o ataque alvinegro participou mais da partida. Pesou, então, a presença de área de Guerrero. Antes do gol, o peruano já havia colocado Paulinho na cara do gol. Mas o volante errou. Aos 37, Guerrero fez valer a superioridade do Timão com uma bela cabeçada após cruzamento de Jorge Henrique. O goleiro Fábio Costa ainda tocou na bola, mas não evitou o gol.

Virada azul

Na mesma linha das "aparências enganam", o segundo tempo começou com um gol de um jogador que pouco apareceu no primeiro tempo: Rivaldo. Logo aos três minutos, o pentacampeão empatou a partida para o São Caetano. Após cruzamento da direita, o craque apareceu nas costas de Alessandro para completar de cabeça.

O gol de empate do Azulão, na verdade, acordou o Corinthians. Diante da reação do adversário, os alvinegros partiram para o ataque. Mas abriram espaço demais e permitiram que os visitantes virassem a partida. Aos 19, Aílton tocou para Danielzinho em profundidade. Ele dominou, driblou o goleiro e tocou para o fundo do gol: 2 a 1.

Logo em seguida, para alegria da torcida corintiana e de Bárbara Berlusconi, que estava na tribuna do Pacaembu, Alexandre Pato foi chamado para entrar em campo. O atacante substituiu Fábio Santos. Assim, Jorge Henrique assumiu o papel de lateral-esquerdo, algo que ele já está acostumado a fazer em algumas ocasiões.

Aos 23 minutos, pouco depois de entrar, Pato teve chance em cobrança de falta. Mas mandou por cima do gol. Um minuto depois, Guerrero avançou em contra-ataque e foi derrubado por trás por Eli Sabiá, que levou o cartão vermelho. Pato, de novo, tentou. Mas dessa vez acertou a barreira e reclamou toque com a mão do adversário.

Sem conseguir o empate, Tite mandou o time para frente. Aos 28 minutos, sacou o zagueiro Gil para a entrada do meia Renato Augusto. Na pressão, o Corinthians ainda acertou uma bola na trave com Emerson. A pressão deu resultado, e o gol de empate veio aos 42, com Paulinho, completando passe de Romarinho.

Fonte: Globo Esporte