Ronaldo rebate crítica de Romário e chama deputado de oportunista

Ronaldo rebate crítica de Romário e chama deputado de oportunista

Na semana passada, o Baixinho disse que Ronaldo não cumpriu promessas de oferecer cota de ingressos a deficientes para Copa do Mundo.

O ex-jogador Ronaldo usou as redes sociais para rebater críticas feitas pelo deputado federal Romário. O Fenômeno diz que Romário tem feito ataques por "ignorância e oportunismo". Na semana passada, o Baixinho disse que Ronaldo não cumpriu promessas de oferecer cota de ingressos a deficientes para Copa do Mundo.

"Venho honrando o meu compromisso e é lamentável ver o Romário, mais uma vez, ir à público me responsabilizar por coisas que vão além da minha alçada. Oportunismo em cima da minha imagem ou ignorância mesmo, eu não sei. O que eu sei é que se, em vez de gastar tempo e energia tentando me denegrir, o deputado se dedicasse a cobrar as pessoas/instituições certas, todos nós ganharíamos mais", escreveu Ronaldo.

Segundo Romário, um encontro com membros do COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo) ocorreu em 2011 para firmar o repasse de 32 mil ingressos a deficientes de baixa renda. Estavam presentes os ex-jogadores Bebeto e Ronaldo, integrantes do comitê da Copa. O deputado informa que o plano ficou apenas na promessa.

Em nota oficial, Ronaldo explica não ter culpa se o acordo não foi cumprido.

"Fiz o que pude, como cidadão, para obter essa resposta positiva da instituição. E, como porta-voz do COL, me orgulhei em dividir a notícia com o povo, junto ao Romário. Mas não sou político, não represento a CBF, e não prometo nada que eu não possa cumprir. E embora hoje, incoerente, o deputado se refira a mim como o autor da promessa, ele deixou claro quando a doação dos ingressos foi anunciada: trata-se de um compromisso da Confederação".

Leia a nota oficial de Ronaldo

Em dezembro de 2011, assumi meu cargo no Comitê Organizador Local da Copa do Mundo. Eu tinha consciência de que aceitar o convite me sujeitaria ao risco de virar alvo de críticas. Mas pensei nas alegrias que dei e recebi dos brasileiros todos esses anos, pensei também no quanto os torcedores vibraram quando o país foi escolhido para sediar o Mundial (estou mentindo?), e acreditei serem essas razões suficientes para eu encarar o desafio. A minha intenção era (e é) trabalhar pelo Brasil na construção desse sonho - contribuir tanto quanto retribuir. Por isso, recusei o salário. Para mim, a Copa é do povo. E o meu trabalho voluntário como membro do COL é para o povo - não para FIFA ou CBF ou qualquer outra instituição.

Venho honrando o meu compromisso e é lamentável ver o Romário, mais uma vez, ir à público me responsabilizar por coisas que vão além da minha alçada. Oportunismo em cima da minha imagem ou ignorância mesmo, eu não sei. O que eu sei é que se, em vez de gastar tempo e energia tentando me denegrir, o deputado se dedicasse a cobrar as pessoas/instituições certas, todos nós ganharíamos mais.

Sou brasileiro, pago meus impostos e, assim como vocês, também anseio por respostas, pelo cumprimento de promessas, por transparência e pelo fim da corrupção. É dever do Romário, como deputado, representar os anseios do povo, trabalhar por quem o elegeu, e fazer valer quanto custa um parlamentar aos cofres públicos, certo?

Só não vejo sentido em insistir publicamente nesta "rivalidade" que, da minha parte, não existe. E, inclusive, na causa em questão, o apoiei em 2011 e continuo apoiando. A foto postada por ele é na coletiva de imprensa convocada para o anúncio dos 32 mil ingressos que seriam doados pela CBF aos deficientes. Na época, o próprio Romário declarou: "Estou feliz com a velocidade da resposta. Ricardo Teixeira me disse que, independentemente do que seja aprovado pela Lei Geral da Copa, a CBF, como entidade privada, doará esses ingressos."

Fiz o que pude, como cidadão, para obter essa resposta positiva da instituição. E, como porta-voz do COL, me orgulhei em dividir a notícia com o povo, junto ao Romário.

Mas não sou político, não represento a CBF, e não prometo nada que eu não possa cumprir. E embora hoje, incoerente, o deputado se refira a mim como o autor da promessa, ele deixou claro quando a doação dos ingressos foi anunciada: trata-se de um compromisso da Confederação.

-

Romário, no site da CBF, atualmente presidida pelo José Maria Marin, consta uma lista de nomes da diretoria os quais você pode (e deve) cobrar. Aguardo novidades ansiosamente, como todos. E se precisa do meu apoio, seja ao menos mais educado numa próxima vez.

Fonte: UOL