Ronda Rousey deixa seu cinturão do UFC em projeto social no Brasil

Ronda deve cair ainda mais nas graças do público brasileiro

Campeã peso-galo (61 kg) do UFC, Ronda Rousey cumpriu a promessa que deixaria seu cinturão no Brasil. A loira entregou a relíquia ao projeto social do brasileiro Flavio Canto, na comunidade da Rocinha.

Assim como ela, Canto é detentor de uma medalha de bronze em jogos olímpicos e já havia conquistado a simpatia da loira nos tatames, onde se tornou ídolo da então novata ao enfileirar rivais com seu justo jogo de solo. No início do ano, em visita à cidade, Ronda também aproveitou para doar US$ 30 mil ao Instituto Reação.

Com o ato, que de acordo com a campeã vai de encontro ao único anseio correto da rival Bethe, o de que o Brasil merecia ter este cinturão, Ronda deve cair ainda mais nas graças do público brasileiro, que aplaudiu de pé sua vitória no combate principal do UFC 190.

Ronda Rousey é viciada em Pokemon, Dragon Ball Z e Sailor Moon

A maior vencedora da história do UFC feminino - que trucidaou a brasileira Bethe Correia em apenas 34 segundos -  se mostrou uma legítima nerd que cresceu nos anos 1990. Ela jogava no Game Boy Color.

"O meu primeiro foi o Pokemon Blue. Meu primeiro Pokemon era um Charmander e fiquei completamente ligada naquilo tudo. Perdi muito peso naquele verão e era uma pequena criança e não parava de jogar.Tinha algumas bolachas sempre por perto porque não parava nem mesmo para comer", declarou.

Outra grande paixão da lutadora era debulhar fitas VHS com episódios de Dragon Ball Z. "Era obsessiva. Sabia que poderia ser um super-herói e melhorar se treinasse forte. Vegeta é minha paixão dos cartoons. Amo ele".


Image title

Image title

Fonte: Com informações do MSN