Rubinho Barrichello quebra jejum de 23 anos e ganha título da Stock Car no Brasil

Rubinho Barrichello quebra jejum de 23 anos e ganha título da Stock Car no Brasil

Rubinho é 3º, assegura título da Stock e quebra jejum de 23 anos

Foram 23 anos de espera desde o título da Fórmula 3 inglesa em 1991. Mas neste domingo, na decisão da Stock Car em Curitiba, Rubens Barrichello finalmente soltou da garganta o grito de “É campeão!”. E as quase duas décadas na Fórmula 1, que proporcionaram esse longo jejum, ajudaram Rubinho a ter experiência e calma para assegurar o título da principal categoria do automobilismo nacional.

A vitória na corrida ficou com um “intruso” Daniel Serra, que não tinha mais chances no campeonato. Maior ameaça ao título de Barrichello, Átila Abreu terminou a corrida em segundo e acabou com o vice-campeonato. Rubinho cruzou a linha de chegada em terceiro, garantiu um lugar no pódio e, mais do que isso, o título de 2014 da Stock Car, para delírio dos filhos Fernando e Eduardo, da esposa Silvana e da equipe Full Time. No pódio, não poderia faltar a tradicional sambadinha.

Eram oito concorrentes ao título: Barrichello, Átila Abreu, Thiago Camilo, Julio Campos, Antonio Pizzonia, Sergio Jimenez, Cacá Bueno e Allam Khodair – os três primeiros com mais chances. Líder do campeonato e largando da pole, Rubinho precisava de no máximo um quarto lugar para assegurar a taça.


Rubinho escapa e cai para 4º; Camilo bate e sai da briga

O veterano de 42 anos largou bem, manteve a liderança, mas ainda no começo da corrida foi surpreendido por uma mancha de óleo na pista, escapou e caiu para quarto. Na parada dos boxes, ganhou uma posição e subiu para terceiro, posição que administrou até o fim para levar a taça.

Após a largada, Daniel Serra seguiu em segundo, enquanto Átila passou Camilo e Cacá e pulou para terceiro. Em uma largada muito tumultuada e com muitas batidas, dois concorrentes ao título, Sergio Jimenez e Julio Campos, acabaram se envolvendo em acidentes e se complicando.

Ainda nas primeiras voltas, o líder Rubinho escorregou em uma mancha de óleo na pista e acabou escapando. Com isso, Serra, Átila e Khodair pularam para as primeiras colocações. Camilo perdeu o controle do carro no mesmo local e bateu em Ricardo Maurício. Com o carro muito danificado, acabou abandonando a prova e saindo da briga pelo título.

Na relargada, Serrinha manteve a ponta, seguido de perto de Átila, Khodair, Rubinho e Cacá. Os quatro primeiros fugiram rapidamente do restante do grid. “Intruso”, o piloto do carro 29 da RBR Mattheis começou a abrir vantagem na ponta.

Serra e Khodair foram para os boxes. Com isso, Átila assumiu a ponta, seguido de Rubinho – os dois que permaneciam fortes na briga pelo título. Barrichello entrou nos boxes na volta seguinte e retornou em quinto, ganhando a posição do companheiro de equipe Khodair. Enquanto isso, Átila retardava ao máximo o pit stop. O segundo colocado era Serra, seguido de Pizzonia, que também não havia parado nos boxes.

Átila, enfim, fez seu pit stop a 12 minutos do fim e voltou à pista logo atrás de Daniel Serra, que reassumiu a liderança. Com a parada de Pizzonia, Rubinho subiu para terceiro, posição que lhe garantia o título.

Em quarto, Khodair servia de escudeiro de Barrichello, segurando a pressão de Cacá Bueno. O companheiro de Rubinho segurou o pentacampeão enquanto pôde, mas acabou sendo superado a 5 minutos do fim.

Serra seguia na frente com folga. Átila aparecia em segundo, acompanhado de perto por Rubens, que apenas administrava a terceira colocação. Barrichello mostrou calma, segurou o terceiro lugar aé o fim e ficou com a taça.


Fonte: Globo Esporte