Santos diz que vontade de Ganso foi o que pesou para acerto com São Paulo

O clube informou que cedeu 45% dos direitos econômicos do jogador por R$ 23,94 milhões.

Assim que selou a venda do meia Paulo Henrique Ganso para o São Paulo, o Santos fez questão de justificar e explicar a negociação para seus torcedores e associados. Por meio de nota divulgada no seu site oficial, o clube informou que cedeu 45% dos direitos econômicos do jogador por R$ 23,94 milhões e, entre outras coisas, afirmou que a vontade do atleta de ir para o time do Morumbi foi determinante para o acerto.


Santos diz que vontade de Ganso foi o que pesou para acerto com São Paulo

O texto, assinado pelo Comitê de Gestão do clube, é divido em 14 tópicos --apesar de um erro na contagem repetir o número 13 no último deles-- e fala das tratativas com Ganso, São Paulo e DIS. A mensagem também trata do impasse jurídico com o braço esportivo do Grupo Sonda.

Na negociação pelo camisa 10, a empresa aceitou penhorar bens do Santos, e não receitas, como anteriormente.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA PUBLICADA PELO SANTOS:

"Em respeito a seus conselheiros, associados e torcedores, o Santos FC vem a público anunciar que Paulo Henrique Ganso não é mais atleta do Clube. Considerando que:

1. O Santos FC fez diversas tentativas para manter o atleta Paulo Henrique Ganso na Vila Belmiro, incluindo proposta de Plano de Carreira e ofertas de aumento em sua remuneração, todas recusadas pelo jogador, conforme documentos em posse da direção do Clube;

2. O atleta, inclusive por meio de seus procuradores, manifestou inequívoco desejo de deixar de vestir a nossa camisa, culminando com sua inadvertida ausência do CT Rei Pelé desde o dia 14 de setembro passado, à revelia da Comissão Técnica, o que levou o Clube a descontar os dias de falta ao trabalho;

3. O São Paulo FC apresentou sucessivas propostas ao Santos FC para aquisição dos direitos federativos do atleta, insistentemente rechaçadas, culminando com oferta de R$ 23.940.000,00 à vista, valor correspondente à participação em direitos econômicos que o Santos teria para uma transação no mercado nacional;

4. O Santos FC está acionando a empresa DIS no Judiciário, com respaldo em parecer de jurista gabaritado, onde é discutido contrato lesivo a direitos do Clube, que envolvem a cessão de 25% dos direitos econômicos de Paulo Henrique Ganso, Wesley, André e outros quatro atletas;

5. A DIS ajuizou processo de execução contra o Santos FC, em que pretende receber R$ 5,1 milhões (conforme atualização feita por seus advogados), por força da negociação do atleta Wesley ao Werder Bremen (Alemanha), especificamente pelos 25% dos direitos econômicos abrangidos no contrato cuja ilegalidade está sendo discutida no Judiciário (item 4 acima);

6. A ação de execução promovida pela DIS foi garantida por imóvel oferecido à penhora pelo Santos FC --CT Meninos da Vila--, para viabilizar a discussão do mérito das ações até um final pronunciamento do mérito pelo Judiciário;

7. A DIS insurgiu-se contra a penhora por meio de recurso de agravo de instrumento dirigido ao Tribunal de Justiça, obtendo decisão favorável que bloqueou parte dos créditos do Santos FC junto a patrocinadores e à Rede Globo de Televisão;

8. A penhora de crédito é extremamente nociva ao fluxo de caixa do Clube, ao contrário da garantia imobiliária que permitiria uma discussão do mérito sem impacto financeiro negativo;

9. Por fim, o Santos FC espera que o Judiciário reconheça a lesividade do contrato, em processo que se tramitará sem traumas ao Clube, vislumbrando, portanto, um desfecho favorável à nossa agremiação;

10. O Santos FC, sobretudo ante ao inequívoco desejo do atleta de não mais vestir nossa camisa, concordou em transferir o Paulo Henrique Ganso ao São Paulo FC pelo valor líquido de R$ 23.940.000,00, mais percentual sobre lucro em venda futura, desde que a DIS aceitasse desistir imediatamente da penhora de nossos créditos;

11. Conforme repercutido na imprensa, o impasse realmente persistiu ao longo dos últimos dias, até que a DIS concordou em substituir a penhora mencionada no item 7 acima;

12. O Santos FC, conforme todos os esclarecimentos acima prestados, informa a seus associados e à sua torcida que a cessão do atleta acabou formalizada após desgastante processo negocial, em que se procurou a obtenção do melhor cenário possível a nosso Clube;

13. A direção do Santos FC esclarece que não pretende e que jamais permitirá qualquer dano a seu patrimônio, registrando que a penhora no CT Meninos da Vila configura mera garantia, necessária a viabilizar a defesa de nossos interesses, de forma a invalidar contrato já considerado lesivo por nosso Conselho Deliberativo;

13. O Santos FC considera virada esta página de sua inigualável e Centenária história, colocando definitivamente um ponto final nesse episódio."

Fonte: Folha