Santos atropela Guarani com  goleada de 8 a 1

Santos atropela Guarani com goleada de 8 a 1

É a terceira vez neste ano que o Santos marca oito gols num jogo: fez 10 a 0 no Naviraiense-MS

É doce a rotina do torcedor do Santos. É um time que não se limita a ?apenas? vencer: dá show, goleia, arranca aplausos. Nesta quarta-feira, contra o Guarani, na Vila Belmiro, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o time alvinegro, com grande atuação de Neymar, encheu os olhos das pessoas que foram à Vila Belmiro. No dia em que comemora 98 anos, o Peixe goleou o Bugre por 8 a 1. O prodígio alvinegro, chamado pela imprensa espanhola de "Messi Brasileiro", marcou cinco gols. Com esse resultado, os santistas praticamente garantiram vaga nas quartas de final. Podem perder por seis gols de diferença no jogo de volta, em Campinas, quarta que vem. Aliás, precisa ter volta? Um belo presente de aniversário para os alvinegros.

É a terceira vez neste ano que o Santos marca oito gols num jogo: fez 10 a 0 no Naviraiense-MS, pela Copa do Brasil, e 9 a 1 sobre o Ituano, pelo Paulistão.

Molecada desfila

O Peixe não deu chance para o Guarani respirar. Logo no primeiro minuto, num contra-ataque extremamente rápido, Arouca apareceu livre pelo meio, invadiu a área e foi derrubado por Cléber Goiano. Aos dois minutos, Neymar, com direito a paradinha, bateu e abriu o placar.

O ritmo era de treino. O Santos não apressava o jogo. Tocada a bola de pé em pé, de um lado para o outro: Wesley, Arouca, Ganso, Marquinhos, Robinho e Neymar. A bola ia e voltava e o Guarani corria atrás, sem ter muito o que fazer. Quando forçou um pouquinho mais, o Peixe marcou o segundo: aos 29, Neymar recebeu de Ganso pela direita. Veio cortando para o meio, invadiu a área e, de pé esquerdo, tocou na saída de Juliano.

A torcida ainda comemorava o segundo, quando saiu o terceiro. Aos 32, Neymar recebeu de Ganso e meteu para Robinho, pela esquerda. O Rei das Pedaladas, que jogou com a camisa 200, para comemorar o seu 200º jogo com a camisa santista (contra o São Caetano, dia 4), ajeitou o corpo e bateu de pé direito, no canto esquerdo de Juliano.

Pobre Bugre. Atordoado, o time campineiro não sabia para onde correr quando aquele via aquele monte de jogadores de branco vindo em velocidade alucinante. Aos 38, mais um gol. Arouca recebeu de Ganso pela direita e cruzou para Neymar, que entrava livre pela esquerda, só completou para o gol.

À essa altura, o Peixe já não jogava. Se exibia. Aos 46, um lindo lance, que não resultou em gol, mas valeu parte do ingresso. Ganso recebeu pela meia esquerda, livrou-se da marcação e, com um leve toque, encobriu Juliano. A bola, caprichosamente, chocou-se contra o travessão. Na sobra, André cabeceou e voltou a bater na trave.

Fácil, fácil

Uma característica marcante desse time santista é que ele não se contenta com o que já tem. Quer sempre mais. O apetite por gols é insaciável. Os jogadores voltaram para o segundo tempo como se o jogo estivesse 0 a 0. Logo aos dez minutos, Neymar invadiu a área driblando e foi derrubado na área. Marcel, que entrou no lugar de André, cobrou bem e ampliou.

Três minutos depois, foi a vez de Robinho marcar mais um. Marquinhos acertou um lindo lançamento para o atacante, que, no meio da área, desviou de cabeça, encobrindo o goleiro Juliano. Na comemoração, o Rei das Pedaladas foi cobrar o técnico Dorival Júnior, que prometeu pagar um churrasco ao elenco caso Robinho fizesse de cabeça.

O Peixe continuou apertando, mas o Guarani se fechou melhro e passou a, pelo menos, conseguir rebater. Numa das únicas oportunidades que conseguiu passar do meio de campo com a bola dominada, o Bugre marcou o seu gol de honra. Numa linda cobrança de falta, Moreno acertou o ângulo de Felipe.

Mas a noite era do Santos. De Neymar, principalmente. Aos 36, Ganso, com grande categoria, acertou belo lançamento para Robinho, que desceu pela esquerda e cruzou para o garoto alvinegro. Ele dominou com extrema categoria e, com um lindo toque, desviou do goleiro.

Aos 39, uma nova pintura. Neymar recebeu na esquerda, quase sobre a linha lateral. Prendeu a bola e rolou para Madson, que passava na corrida. O baixinho, em grande velocidade, desceu e rolou para Robinho, que, de primeira, enfiou para Neymar marcar o seu quinto e o oitavo do Peixe.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com