São Paulo não teme represália pela CBF

Entidade pode autorizar as entradas de Tinga, Sóbis e Renan na partida da semifinal

A possibilidade de o Internacional escalar o goleiro Renan, o volante Tinga e o atacante Rafael Sóbis alertou o São Paulo antes mesmo do confronto semifinal, válido pela Copa Libertadores da América. O clube gaúcho depende de um aval da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), entidade a qual não possui uma boa relação com o clube do Morumbi, para poder utilizar o trio na primeira partida, marcada para o próximo dia 28, no Beira-Rio.

Para inscrever os jogadores, o Internacional depende do adiantamento em uma semana da abertura da janela de transferências, marcada para o próximo dia 2 de agosto, cinco dias depois do confronto em Porto Alegre. De acordo com o regulamento da competição, o Internacional não poderá contar com os jogadores no torneio continental, já que o limite para inscrições termina no início das semifinais.

Mesmo estando do outro lado do confronto e dependendo de uma decisão da CBF, o São Paulo não teme represálias. "Pensar em algo proposital é mau julgamento. A chance do Morumbi sediar a Copa e da CBF favorecer e inscrever os dois (Tinga e Sobis) é diferente. A politicagem não pode influenciar no futebol, dentro de campo, como o futebol não pode interferir na política", afirmou o técnico Ricardo Gomes nesta sexta-feira.

Os entreveros do São Paulo com a entidade máxima do futebol brasileiro tornaram-se mais expostos depois da eleição para o Clube dos 13, quando Fábio Koff, candidato escolhido pelo clube do Morumbi e que representa a oposição da CBF, foi escolhido. A organização acabou sendo representada pelo ex-presidente do Flamengo Kleber Leite.

Mas, as alfinetadas de ambas as partes atingiram maiores proporções depois que a CBF vetou o projeto de reforma do Morumbi, principal da capital paulistana, para a Copa do Mundo de 2014. Dessa forma, apenas a Arena da Baixada, do Atlético Paranaense, e o Beira-Rio, justamente do Inter, seriam os estádios particulares no torneio.

As decisões contrárias da entidade em relação ao hexacampeão nacional, no entanto, não assustam Ricardo Gomes. "Essa possibilidade de o Inter escalar Tinga, Sóbis e Renan não existe. Pode acontecer, não é a realidade. Estamos atentos com essa chance e vamos ficar com este elenco. Para isso se consumar teria que mudar o regulamento. Se abre para um, abre para todos", disse o técnico são-paulino.

Fonte: IG