São Paulo vence Defensor no Morumbi

Ele já havia impedido a derrota do time logo na estreia na Taça Libertadores da América , com um gol de meia bicicleta

Ele já havia impedido a derrota do time logo na estreia na Taça Libertadores da América , com um gol de meia bicicleta, aos 48min do segundo tempo da partida contra o Independiente Medellín, que terminou empatada por 1 a 1. E, na noite desta quinta-feira, Borges brilhou novamente em casa. Marcou os dois gols da vitória de virada do São Paulo sobre o Defensor por 2 a 1 (confira os gols no vídeo ao lado), para festa da torcida, que compareceu em grande número ao estádio do Morumbi.

O resultado colocou a equipe comandada por Muricy Ramalho nas oitavas-de-final da competição. O time isolou-se ainda mais na liderança do Grupo 4, com dez pontos, seis a mais que Defensor e Independiente Medellín, que é o próximo adversário são-paulino, na próxima quarta-feira, na Colômbia. Antes, no fim de semana, o Tricolor muda o foco e faz a primeira semifinal do Campeonato Paulista , contra o Corinthians, no estádio do Pacaembu.

Primeiro tempo sonolento

No último treino antes da partida desta quinta, o técnico Muricy Ramalho resolveu fazer um treino secreto que durou 1h20m. Mas, quando a bola rolou, parecia que o São Paulo havia acabado de se conhecer. Muitos erros de passes e nenhuma inspiração.

O Defensor, inteligentemente, saiu para o jogo e não deu espaços para o Tricolor que também pecou pela falta de aproximação do meio-campo com o ataque. Os uruguaios bloquearam o avanço de Junior Cesar colocando o atacante Nasa aberto. Pela direita, Zé Luis fechava todas as jogadas para o meio, o que facilitava as coisas para a marcação uruguaia,

Sem alternativas, o time brasileiro passou a forçar o chuveirinho para a área adversária. O primeiro lance de perigo ocorreu aos 19 minutos, em cabeçada de Borges, para fora. Cinco minutos depois, foi a vez de Washington tentar pelo alto, sem sucesso. O Defensor aproveitava a noite infeliz das principais peças são-paulinas e tentava surpreender com rapidez nas subidas para o ataque.

Aos 32, quase gol Borges, de cabeça, após cobrança de escanteio de Jorge Wagner. Seis minutos depois, veio a surpresa. Falta cobrada para a área do São Paulo, e Rogério Ceni, ao subir para o lance, colocou a bola para dentro do próprio gol. Um frango. Foi o segundo jogo seguido que o camisa 1 são-paulino falhou. Já havia errado no segundo gol do São Caetano, no empate por 2 a 2 do último domingo, na partida realizada em Presidente Prudente pelo Paulistão.

Dagoberto e Borges resolvem a partida

A situação não se alterou no segundo tempo. O São Paulo seguiu mal em campo, e a paciência do seu torcedor acabou. As vaias ecoaram no estádio do Morumbi. Irritado, o técnico Muricy Ramalho resolveu partir para o tudo ou nada, tirando Zé Luis para colocar Dagoberto. Aos 10, Rogério Ceni, em cobrança de falta, obrigou o goleiro Martín Silva a fazer a sua primeira grande defesa.

A entrada do camisa 25 deu novo gás ao time, que renasceu em campo. Aos 14, Dagoberto fez bela jogada e deu passe açucarado para Washington, que bateu por cobertura e acertou o travessão uruguaio. No minuto seguinte, Washington teve nova chance na cara do gol, mas foi travado na hora da finalização.

Vendo o empenho do time em campo, a torcida resoveu jogar junto e voltou a apoiar. O Defensor, por sua vez, priorizou o sistema defensivo. O técnico Jorge da Silva retirou o atacante Mora e colocou o volante Gaglianone. Com isso, o meio-campo ficou ainda mais congestionado.

O gol são-paulino estava cada vez mais próximo. Aos 24, Jorge Wagner cobrou escanteio pela direita, e André Dias, de cabeça, acertou a trave esquerda de Martín Silva. No minuto seguinte, não teve jeito. Após cruzamento da direita, Washington e André Dias tocaram de cabeça, e a bola sobrou para Borges, impedido, bater no ângulo direito.

Mas o camisa 17 queria mais. Aos 29, ele fez o Morumbi explodir de alegria. Após cruzamento de Junior Cesar da esquerda, a zaga uruguaia falhou, e Borges, de pé direito, bateu no canto esquerdo de Martín Silva. Foi o quinto gol dele na Taça Libertadores.

O gol deu tranquilidade, e o Tricolor passou a tocar mais a bola, esperando o tempo passar. Mesmo assim, teve chances para marcar o terceiro gol. Aos 39, Hernanes, em jogada individual pela esquerda, chutou à direita de Martín Silva, com perigo. No minuto seguinte, Borges, cansado, deixou o gramado ovacionado pela torcida. Renato Silva entrou no seu lugar. Com isso, o time passou a jogar no esquema 3-5-2. E só esperou o tempo passar para comemorar sua classificação por antecipação.

Fonte: Globo Esporte