Sem brilho, Barcelona vence com dois gols de Messi e rouba liderança do Copenhagen na Liga dos Campeões

Sem brilho, Barcelona vence com dois gols de Messi e rouba liderança do Copenhagen na Liga dos Campeões

O resultado levou o time azul-grená a sete pontos ganhos, ultrapassando os dinamarqueses

O Barcelona não encantou como de costume, mas fez o necessário para vencer em casa, por 2 a 0, o Copenhagen (DIN) e assumir a liderança do Grupo D da Liga dos Campeões. Nesta quarta-feira, no Camp Nou, a equipe catalã contou com um golaço de Lionel Messi para abrir o placar; depois, teve dificuldades para furar a retranca adversária e quase sofreu o empate, antes de o camisa 10 marcar novamente e selar o triunfo.

O resultado levou o time azul-grená a sete pontos ganhos, ultrapassando os dinamarqueses, que pararam nos seis. No outro jogo da chave, Panathinaikos (GRE) e Rubin Kazan (RUS) empataram sem gols. Os russos aparecem em terceiro lugar, com dois pontos, enquanto os gregos seguram a lanterna da chave, com um. O meia-atacante Carlos Eduardo, convocado recentemente para a Seleção por Mano Menezes, passou toda a partida no banco de reservas do Rubin.

Com o meio-campista Xavi poupado pelo técnico Pep Guardiola, o Barcelona perdeu muito da fluidez de seu jogo no meio de campo. Porém, bastou um momento de genialidade de Messi para a rede balançar, aos 19min. O argentino recebeu de Iniesta na entrada da área e acertou um chute forte no ângulo do goleiro Wiland.

Parecia que os espanhóis aplicariam uma goleada, mas o ritmo da partida mudou. Defendendo com duas linhas de quatro homens muito recuadas, o Copenhagen travava os passes dos anfitriões perto da área defensiva e saía rápido no contragolpe.

A melhor chance dos visitantes veio aos 21min do segundo tempo, quando N"Doye escapou pela direita e finalizou com violência, acertando o travessão; no rebote, o brasileiro Santin teve o gol aberto à sua frente, mas cabeceou de forma bisonha e mandou a bola para fora.

Xavi entrou em campo aos 27min e melhorou imediatamente a movimentação do time, mas a retranca continuou funcionando. Só nos acréscimos a vantagem foi ampliada: Abidal chutou mascado para a área e a bola sobrou para Messi na marca do pênalti. O craque só precisou dominar e concluir para garantir o resultado.

Fonte: Terra, www.terra.com.br