Sem C. Ronaldo, Real Madrid leva sufoco, mas elimina Borussia

Sem C. Ronaldo, Real Madrid leva sufoco, mas elimina Borussia

Com problemas físicos, Cristiano Ronaldo ficou no banco do Real, e sua falta foi sentida

O Real Madrid sofreu, mas está na semifinal da Liga dos Campeões. Na luta pelo décimo título, o time do técnico Carlo Ancelotti visitou o Borussia Dortmund nesta terça-feira e foi derrotado por 2 a 0, só que a vantagem de 3 a 0 construída na partida de ida foi suficiente para a classificação. O próximo adversário será determinado via sorteio.

Com problemas físicos, Cristiano Ronaldo ficou no banco do Real, e sua falta foi sentida. Sem o português, a equipe espanhola perdeu um pênalti com Angel Di María e foi dominada pelo Borussia Dortmund, que abriu vantagem no primeiro tempo com dois gols de Marco Reus. A etapa complementar viu muita pressão da equipe alemã, mas Iker Casillas acabou sendo decisivo para garantir a vaga.

O primeiro tempo foi um sonho para o Borussia e um pesadelo para o Real Madrid. Aos 16min, Fábio Coentrão cruzou bola na área e acertou o braço de Piszczek, o que a arbitragem considerou como pênalti. Sem Cristiano Ronaldo, Di María foi para a cobrança, mas escorregou e viu Weindenfeller fazer a defesa.

A partir daí, começou o show de Marco Reus. Aos 24min, Pepe errou feio e recuou de cabeça para o meia alemão, que passou por Casillas e tocou para o fundo das redes. Onze minutos depois, o Borussia Dortmund aproveitou nova falha do Real para ampliar. Depois de erro de Illarramendi na saída de bola, Lewandowski recebeu e acertou na trave. No rebote, entretanto, Reus empurrou para o gol.

O time espanhol voltou mais desperto no segundo tempo, buscou ameaçar mais e passou a perder oportunidades - primeiro com Di María, aos 4min, e Bale, aos 14min. A resposta do Borussia, porém, assustou bem mais. Aos 20min, Reus tocou para Mkhitaryan, que driblou Casillas e acertou a trave direita do Real.

Quando a bola era chutada com uma maior distância, o goleiro espanhol mostrava sua perícia, como em defesas a arremates de Lewandowski e Grosskreutz. O Real tinha raras chances no contra-ataque, mas desperdiçava todas, especialmente com Benzema.

Fonte: Terra