Sob chuva na China, Button repete o show da Austrália, vence a segunda e vira líder

Sob chuva na China, Button repete o show da Austrália, vence a segunda e vira líder

Inglês brilha na estratégia e puxa dobradinha da McLaren em Xangai

Pista molhada, ousadia na estratégia, champanhe no alto do pódio. Com os mesmos ingredientes da Austrália, Jenson Button repetiu a receita no GP da China e conseguiu neste domingo sua segunda vitória na temporada da Fórmula 1, liderando a dobradinha da McLaren à frente de Lewis Hamilton. A diferença desta vez é que o triunfo no circuito de Xangai coloca o atual campeão mundial no topo da classificação. Para chegar lá, ele caprichou na tática dos pneus e atravessou 56 voltas de uma corrida cheia de episódios polêmicos.

O maior deles - ao menos para os brasileiros - foi o fogo amigo de Fernando Alonso para cima de Felipe Massa. O espanhol ultrapassou o companheiro da Ferrari na entrada dos boxes, numa manobra pouco comum entre colegas de equipe. Massa acabou não conseguindo se recuperar na chuva e terminou em nono. Alonso, que já tinha queimado a largada, foi o quarto, logo atrás de Nico Rosberg, da Mercedes, que completou o pódio atrás das McLarens.

Massa chegou à China como líder do campeonato e deixará o país ? assim que o caos aéreo permitir ? na sexta posição, com 41 pontos. Button lidera com 60, seguido por Rosberg (50), Alonso (49) e Hamilton (49). Quem também não teve motivos para sorrir em Xangai foi o pole Sebastian Vettel, da RBR, que novamente não conseguiu comprovar na corrida a qualidade da equipe. O alemão terminou em sexto, logo à frente do companheiro Mark Webber.

Por falar em alemão, Michael Schumacher voltou a sofrer com a nova geração da F-1. Após brigar com os mais jovens durante toda a corrida, ele foi superado por Massa no fim e ficou em décimo, à frente de Adrian Sutil, da Force India. Rubens Barrichello, da Williams, veio na 12ª posição. Bruno Senna, da Hispania, cruzou em 16º, e Lucas di Grassi, da VRT, abandonou.

A corrida

Assim como na Austrália, a chuva apareceu na China a poucos minutos da largada. Com os carros se dirigindo ao grid, a garoa aumentou um pouco, mas não se intensificou. Por isso, equipes e pilotos decidiram manter os pneus slicks em seus carros, já que a direção de prova não considerou o asfalto molhado o suficiente para obrigar a troca dos compostos.

Ainda com pista seca, os pilotos completaram a volta de apresentação e alinharam no grid. Afobado, Alonso acabou se movimentando antes das luzes vermelhas se apagarem e queimou a largada. Com isso, o espanhol assumiu a ponta, seguido por Mark Webber, Sebastian Vettel e Nico Rosberg. Felipe Massa se manteve na sétima posição, no meio da briga por ultrapassagens.

Ainda na primeira volta, Vitantonio Liuzzi, da Force India, rodou no primeiro hairpin da pista e atingiu em cheio o carro de Sebastien Buemi, da STR. O japonês Kamui Kobayashi, da Sauber, acabou colhido no acidente e também abandonou a corrida. A confusão acabou provocando a primeira entrada do safety car na pista, enquanto a chuva começava a aumentar novamente.

Com a pista úmida, Rubens Barrichello, Adrian Sutil e Jaime Alguersuari entraram nos boxes para colocar pneus intermediários, decisão seguida por quase todos os outros pilotos na segunda volta. Apenas Nico Rosberg, Jenson Button, Robert Kubica e Vitaly Petrov permaneceram na pista e ficaram com as primeiras posições da corrida. A queima de largada de Alonso foi detectada pela direção de prova e o espanhol recebeu a punição ainda em bandeira amarela.

O safety car entrou nos boxes no fim da terceira volta e Rosberg manteve a ponta, seguido de perto por Button e Kubica. Alonso superou Pedro de la Rosa e assumiu a quinta posição, mas ainda precisaria entrar nos boxes para cumprir sua punição, o que aconteceu no final da quarta passagem.

Michael Schumacher, na quinta volta, foi o primeiro dos pilotos que estavam com os intermediários a voltar para os pneus slicks. A decisão do alemão acabou seguida pela maioria do grid na sexta volta. Apenas Alguersuari se manteve na pista com o composto para chuva fraca. Alonso só pôde entrar na passagem seguinte e também voltou para a borracha de pista seca.

Hamilton, que ficou para trás com a chuva e as trocas de pneus, começava a dar seu show particular. Primeiro, foi superado por Sebastian Vettel, após disputar a posição dentro dos boxes. Mas se recuperou em seguida, com a ultrapassagem sobre Rubens Barrichello, ao assumir a 11ª posição. Massa, por sua vez, passava dificuldades e saiu da pista duas vezes na mesma volta.

O inglês continuava a tentar ganhar posições na pista, em meio aos carros da RBR. Ele superou Webber na décima volta e ficou muito próximo de Vettel. O alemão fez a ultrapassagem sobre o surpreendente Kovalainen na 11ª, assim como Hamilton e o australiano da RBR. Na passagem seguinte, Vettel começou a duelar com Sutil, mas ambos acabaram superados pelo inglês da McLaren.

A chuva continuava fraca, mas as equipes começavam a receber previsões de mais água nos minutos seguintes. Na 15ª volta, Hamilton e Schumacher começavam a travar o melhor duelo da corrida. O inglês tentou por algumas vezes a ultrapassagem, mas só conseguiu duas passagens depois, após várias trocas de posição na pista.

O heptacampeão não ficou livre da nova geração: na volta seguinte, Vettel conseguiu superá-lo em uma manobra sensacional. Na frente, Rosberg cometeu um erro, saiu da pista e acabou ultrapassado por Button, que se tornou o novo líder. Neste momento, a chuva começou a apertar e os pilotos voltaram a entrar nos boxes para colocar os pneus intermediários.

Na 21ª volta, Alguersuari tocou em Bruno Senna e ficou com a asa dianteira solta. Ele foi soltando detritos pela pista, o que acabou provocando a segunda entrada do safety car. O maior perdedor com isso foi Button, que perdeu uma vantagem de mais de 40 segundos na pista. Ele ficou por cinco voltas na pista e, pouco antes da relargada, o inglês da McLaren diminuiu demais a velocidade e quase provocou um grande acidente no pelotão.

Na relargada, Hamilton superou Schumacher novamente e assumiu o quinto lugar, enquanto Sutil e Alonso ultrapassavam Barrichello. O alemão e o espanhol passaram a duelar em segunda. O inglês da McLaren, por sua vez, continuava a escalar o pelotão e superou os dois pilotos da Renault: Petrov na 27ª volta e Kubica na 29ª.

Alonso também continuava sua recuperação e finalmente superou Sutil na 30ª passagem. O espanhol assumiu o sexto lugar da corrida, mas subiu ainda mais duas voltas depois, quando Petrov rodou e foi superado por ele e por Vettel ao mesmo tempo. Um pouco mais atrás, Schumacher sofria com a pressão de Webber.

Hamilton passou a brigar pela segunda posição com Rosberg na 36ª volta. O alemão foi superado momentaneamente pelo inglês, mas deu o troco. Na passagem seguinte, o piloto da McLaren fez seu último pit stop, para trocar os intermediários. Button e Rosberg, com os compostos desgastados, permaneciam na pista. Ambos só foram para os boxes na passagem seguinte, mas o piloto da Mercedes acabou atrás da dupla da equipe inglesa.

A nove voltas do fim, Felipe Massa assumiu a décima posição ao superar Jaime Alguersuari, mas continuava em uma corrida bastante discreta. O brasileiro e Petrov começaram a recuperar terreno em relação a Schumacher, que sofria com os pneus desgastados. O russo fez a ultrapassagem na 52ª passagem. O piloto da Ferrari tentou a sorte na seguinte, mas o alemão se manteve à frente.

Na frente, Button, já sem pneus, errou a quatro voltas do fim, mas conseguiu voltar à pista e se manter na liderança. Mesmo com a aproximação de Hamilton, o atual campeão da Fórmula 1 só administrou a vantagem nas últimas voltas da corrida. Atrás, Massa finalmente superava Schumacher e garantia a nona posição, mas acabou longe da liderança do campeonato.

Fonte: Globo Esporte