Somália quebra silêncio e pede desculpas por sequestro forjado

Somália quebra silêncio e pede desculpas por sequestro forjado

Somália se pronunciou pela primeira vez nesta quinta-feira na sala de imprensa do Botafogo

Somália se pronunciou pela primeira vez nesta quinta-feira na sala de imprensa do Botafogo após ter forjado seu sequestro no dia 5 de janeiro, data da reapresentação do grupo. O volante se desculpou por conta do seu erro e aproveitou para agradecer sua família por todo apoio recebido.

O jogador demonstrou arrependimento, chegou a chorar e afirmou que está pronto para pagar pelo que fez. Ele foi indiciado por falsa comunicação de crime ou contravenção. Esse delito prevê pena de um a seis meses de detenção.

?Eu fui para a delegacia nesta quinta e conversei com a delegada. Tenho que pedir desculpas como filho e pai de família. A torcida alvinegra também merece desculpas porque eles sempre me apoiaram?, afirmou o volante.

?Nesse período minha família sofreu muito. Eu errei e estou aqui para pagar pelo que eu fiz. Conversei com meu advogado (Marcio Delambert) e ele vem instruindo. Agora preciso dar sequência ao meu trabalho porque não está sendo fácil passar por essa situação?, completou.

O meio-campo também procurou se desculpar com toda direção do clube pelo fato de ter deixado o clube exposto por conta de seu ato. Nesse momento, ele enalteceu a grandeza do Botafogo ao dizer que ninguém pode querer ser mais importante que a instituição.

?Preciso deixar claro que o Botafogo é maior que qualquer pessoa. Acabei expondo o clube com a minha atitude e, por isso, pedi desculpas para meus companheiros e a comissão técnica. Estou arrependido e tenho certeza que não acontecerá mais um episódio como esse. Conversei com o Joel e ele disse que precisamos aprender com os erros. Eu assimilei seu conselho porque não vou fazer mais isso?, encerrou.

Na semana passada, Somália se dirigiu à delegacia porque teria sido rendido por um bandido e foi obrigado a dirigir durante duas horas pelas ruas da Barra da Tijuca. No final do percurso, o homem teria roubado um cordão de ouro, um relógio e R$ 1.800, em espécie.

No entanto, após investigações da polícia as câmeras do prédio onde o atleta reside demonstraram que ele estava mentindo. As imagens demonstram que ele retornou para sua casa por volta de 4h da manhã e teria saído por volta de 9h. Como ele chegou na 16ª DP às 9h30, o depoimento de Somália caiu por terra.

Fonte: UOL