Substituto de Love faz dois gols na vitória do Fla sobre o Quissamã

Hernane usa a cabeça para construir placar de 2 a 0, em atuação mediana do time rubro-negro na estreia do adversário na Série A estadual

O Flamengo estreou com vitória no Campeonato Carioca de 2013. Na tarde deste sábado, no Engenhão, batizou o Quissamã com triunfo de 2 a 0. Foi o primeiro jogo da história do adversário rubro-negro na elite estadual. Hernane, candidato a substituir Vagner Love, marcou os dois gols no Engenhão, ambos de cabeça.


Substituto de Love faz dois gols na vitória do Flamengo sobre o Quissamã

- Atacante vive de gols. A torcida pode não confiar muito no Hernane, não dar valor, mas a gente vê o esforço dele. Hoje ele foi feliz, decisivo, e quem sabe ele não deslancha. No ano passado ele foi artilheiro do Paulista, o estadual mais forte do Brasil. Esperamos que ele seja o Hernane daquele campeonato - analisou o goleiro Felipe.

Com rendimento mediano na partida, o Flamengo foi mal no primeiro tempo e cresceu na etapa final, mas não conseguiu um placar mais elástico. Diante de um adversário muito tímido, no entanto, teve controle quase absoluto. Não atuaram os quatro reforços (Elias, Gabriel, João Paulo e Wallace), os oito jogadores que continuam fazendo pré-temporada (Thomás, Renato, Alex Silva, Cleber Santana, Airton, Camacho, Muralha, González) e Adryan e Mattheus, que estavam com a seleção brasileira eliminada no Sul-Americano Sub-20.

O lateral-esquerdo Ramon, muito mal na partida, conseguiu ser expulso ao levar o segundo amarelo já nos acréscimos. Ele estava pendurado desde os 17 minutos do primeiro tempo. O Flamengo volta a campo na quarta-feira, às 17h, fora de casa, contra o Madureira. O Quissamã, no mesmo dia, recebe o Resende.

O Flamengo esteve longe de jogar bem no primeiro tempo. Mas fez o suficiente para largar com vantagem. E graças a uma jogada de bola parada. Cedo, logo com três minutos, Rodolfo bateu escanteio da esquerda e viu Hernane subir alto, acima da zaga, entre dois marcadores, e martelar de cabeça. Foi quase um chute com a testa: forte, certeiro.

O gol influenciou o clima da etapa. O Flamengo, dominador, se permitiu o luxo de não ter pressa. Com três jogadores por vezes exageradamente isolados na frente (Nixon, Hernane e Rafinha), acabou mais girando em campo do que criando novas oportunidades. Poderia ter ampliado em apenas dois momentos: um chute fraco de Nixon e uma investida de Hernane pela esquerda, em lance afastado pela zaga. Sorte rubro-negra que a contrapartida do Quissamã foi quase nula. No único esboço de chance do oponente do Fla, Ramon apareceu bem para cortar.

Mais um de Hernane

Melhorou muito o desempenho do Flamengo no segundo tempo. Em dez minutos, o time de Dorival Júnior produziu mais do que em toda a etapa anterior. Foi por detalhes que o segundo gol não saiu já na largada do período. Sucederam-se chances, e as melhores resultaram em toque para fora de Hernane, encobrindo o goleiro, e em chute na trave de Nixon, após passe matemático de Ibson.

Com o passar do tempo, o Quissamã conseguiu reduzir a pressão flamenguista. Os rubro-negros seguiram superiores, mas com chegadas mais esporádicas ao ataque. Dorival resolveu testar Romário na equipe e chamou Luiz Antonio para dar solidez ao meio-campo. A entrada do primeiro foi decisiva. Ele apareceu bem na direita e mandou na cabeça de Hernane, decisivo: 2 a 0.

Fonte: GloboEsporte.com