Técnico do Palmeiras terá de recorrer a reservas no final do Campeonato Brasileiro

Muricy Ramalho olha para o banco na parte final do Brasileiro

 Armero, Cleiton Xavier, Wendel e, provavelmente, Danilo não subirão com o time para o gramado do Parque Antarctica, hoje, às 18h30, diante do Atlético-PR. Mais do que nunca, Muricy Ramalho terá de recorrer aos reservas. Na verdade, o maior desafio para o treinador do líder do campeonato será escalar a equipe nas últimas 13 rodadas sem ter de recorrer ao banco. Jogadores pendurados com dois cartões amarelos, lesões, convocações para as eliminatórias da Copa.

Com tantos problemas, é quase certo que um ou mais suplentes estejam na foto da equipe na última jornada, no dia 6 de dezembro. Hoje, o meia Cleiton Xavier e o lateral-esquerdo Armero não jogam porque estão suspensos. Já o zagueiro Danilo não deverá atuar contra seu ex-clube por uma questão de contrato. Por fim, o lateral-direito Wendel não se recuperou da lesão na boca resultante de uma cotovelada sofrida na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, quarta-feira, em Belo Horizonte.

"O trauma na mandíbula foi muito forte. Houve um corte grande, e ele permanece com dor. Seria preocupante [ele jogar] para uma dividida, uma disputa de cabeça", disse o médico do clube Vinicius Martins. Muricy não quis dar pista sobre como armará o time. Em meio a tantas dúvidas, a única que parece já sanada é a presença de Figueroa na direita. "Ele é experiente, tem um ótimo passe e é muito bom na bola parada. Mas ainda precisa ser analisado com mais tempo", disse o comandante.

Em Minas, o chileno entrou na etapa final. A grande dificuldade será substituir Cleiton Xavier, o maior "garçom" do Nacional. Segundo o Datafolha, o camisa 10 já deu 11 passes para gol. "Ele é um armador um pouco diferente. Além de bom passador, tem boa dinâmica. Você pode colocar ele de volante que ele funciona ali", afirmou o treinador palmeirense. Desde que chegou ao clube, o técnico tricampeão brasileiro tem dado ênfase ao trabalho com os reservas, razão pela qual as ausências dos titulares na reta final do campeonato deverão ser menos sentidas.

"Você tem que dar confiança aos que vão entrar. O Brasileiro é duro, você perde jogador a toda hora", falou Muricy. Após o clássico contra o Santos, no dia 26, o treinador já terá que pensar no Palmeiras sem Diego Souza e Armero. Ambos estarão defendendo as seleções brasileira e colombiana, respectivamente, pelas eliminatórias da Copa de 2010. Os dois serão desfalques certos diante de Avaí, dia 8 de outubro, e Náutico, quatro dias depois.

"Não adianta reclamar. Você não pode tirar o sonho do cara de ir para a seleção." Isso sem contar a lista de pendurados com dois cartões, que tem Armero, Deyvid Sacconi, Jumar, Maurício, Obina, Ortigoza, Robert e Sandro Silva.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br