Teixeira vistoria obras e diz que Belo Horizonte poderá sediar os jogos de abertura

Teixeira vistoria obras e diz que Belo Horizonte poderá sediar os jogos de abertura

O presidente da CBF visitou na manhã desta quarta-feira as obras de ampliação do Estádio do Mineirão

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, visitou na manhã desta quarta-feira as obras de ampliação do Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

Teixeira admitiu, em entrevista, que a capital mineira está adiantada em relação a várias cidades do Brasil no que diz respeito à infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e, assim, leva vantagem sobre as demais concorrentes para organizar o jogo de abertura do torneio.

"Pelo fato de já ter iniciado o projeto, ela (Belo Horizonte) tem vantagem (para sediar a abertura). Estou muito satisfeito que Belo Horizonte inegavelmente é a sede e o estádio que estão mais avançados no projeto. A expectativa é que a participação do Mineirão seja importante na Copa de 2014. A Fifa tem um cronograma e cumprirá o cronograma. Na época oportuna de análise dos jogos importantes, será definido o local de abertura e fechamento. Não tem nada definido", afirmou.

As lideranças mineiras, como o ex-governador Aécio Neves (PSDB) e o atual Antonio Anastasia (PSDB), que acompanharam a visita, têm intensificado o lobby junto à CBF para capacitar a cidade a receber o jogo de abertura da Copa. Para isso, conta, de quebra, com os problemas registrados nos estádios de São Paulo.

"São Paulo está com problema, porque não tem estádio apresentado para a Copa do Mundo. Não há nenhum estádio que esteja definido em São Paulo para a Copa", disse Teixeira.

Como o próprio Aécio já admitiu várias vezes, Belo Horizonte também tem falhas que precisam ser sanadas para se cacifar e ser uma das sedes do campeonato. Uma delas é a estrutura hoteleira, que precisa ser ampliada.

"Tenho certeza que será um problema a ser solucionado em breve. Temos empresas interessadas em fazer hóteis aqui", defendeu Teixeira, antes de evitar comparações com outras sedes.

"Não estou preocupado em Copa melhor do que Alemanha ou África do Sul. Será uma Copa brasileira, com a alegria do nosso povo. Não quero competir com a Alemanha, com a África do Sul ou com alguma sede de 2018", emendou.



Fonte: Terra, www.terra.com.br