T. Neves marca 3, Fla vence e coloca o Cruzeiro na reta do rebaixamento

A cinco jogos do fim da competição, são apenas três pontos de distância para os líderes Corinthians e Vasco


Thiago Neves marca 3, Fla vence e afunda o Cruzeiro na tabela

Com um segundo tempo espetacular, o Flamengo goleou o Cruzeiro por 5 a 1, no Engenhão, neste sábado, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, e ganhou moral na reta final da competição. Com três gols de Thiago Neves e dois de Deivid, a equipe rubro-negra chegou aos 55 pontos na tabela, na quarta colocação, e volta a sonhar com o título. A cinco jogos do fim da competição, são apenas três pontos de distância para os líderes Corinthians e Vasco.

A equipe mineira, que abriu o placar com Anselmo Ramon e teve chance de fazer 2 a 0 em um pênalti desperdiçado por Vitorino, acumula problemas e corre sério risco de disputar a Série B pela primeira vez na história. Os comandados de Vágner Mancini voltaram para a zona do rebaixamento, com 34 pontos, na 17ª colocação, e nas próximas rodadas ainda podem perder o meia Montillo, que deixou o campo com lesão muscular.

Um desfalque inesperado irritou o técnico Vanderlei Luxemburgo momentos antes do jogo. Por se automedicar nas vésperas da partida, o goleiro titular Felipe teve que ser poupado para evitar complicações em um possível exame antidoping. O reserva Paulo Victor foi escalado para substitui-lo.

Em um primeiro tempo movimentado, o Cruzeiro abriu o placar com Anselmo Ramon e teve chances de ampliar com Farías, que acertou o travessão, e Vitorino, que desperdiçou uma cobrança de pênalti. Ainda antes do intervalo, Deivid empatou em um lance de sorte e talento: o atacante acertou um chute de longe com efeito. A bola bateu na trave e nas costas do goleiro Fábio antes de entrar.

A virada flamenguista veio logo no início da segunda etapa, novamente com Deivid, de cabeça. Para piorar ainda mais a situação mineira, Montillo sentiu lesão na coxa e teve que deixar o campo ainda aos 5min.

Já aos 12min da etapa final, o placar era de 4 a 1. Thiago Neves marcou duas vezes e Ronaldinho ainda desperdiçou lance incrível, na frente do gol, por preciosismo.

A torcida mineira presente no Engenhão começou a deixar o estádio já na metade do segundo tempo. Eles não viram o quinto gol rubro-negro, humilhante: aos 25min, Fábio saiu jogando completamente errado e entregou nos pés de Thiago Neves. Meia tocou por cobertura e marcou um golaço, o terceiro na partida.

Na próxima rodada, o Flamengo joga contra o Coritiba no Couto Pereira, enquanto o Cruzeiro, como mandante, recebe o Internacional.

O jogo

Um desfalque inesperado irritou o técnico Vanderlei Luxemburgo momentos antes do jogo. Por se automedicar nas vésperas da partida, o goleiro titular Felipe teve que ser poupado para evitar complicações em um possível exame antidoping. O reserva Paulo Victor foi escalado para substitui-lo.

Apesar do contratempo, a equipe rubro-negra começou melhor em campo. O jovem garoto Thomás, de 18 anos, se mostrava à vontade e entrosado com Thiago Neves e Ronaldinho. Aos 15min, o trio de armadores fez bola chegar até Deivid, que recebeu pelo alto e cabeceou para o fundo das redes, mas o árbitro sinalizou situação irregular.

Se o sistema ofensivo rubro-negro ia bem, o mesmo não se podia dizer da defesa. Aos 23min, Montillo cruzou escanteio pela direito, Farías desviou na primeira trave e Anselmo Ramon, livre, completou para abrir o placar.

O gol abalou os cariocas e deu confiança aos mineiros. Logo na sequência, aos 26min, o Cruzeiro chegou perto de ampliar: aproveitando outro "buraco" na zaga flamenguista, Farías recebeu na área, com liberdade, e tocou na saída de Paulo Victor, mas a bola foi no travessão.

O momento era mais favorável ao time visitante. Aos 28min, Montillo invadiu a área em velocidade e Alex Silva chegou forte, de carrinho. O árbitro marcou penalidade do camisa 24, que fez infração semelhante no santista Alan Kardec, no empate por 1 a 1 entre Santos e Flamengo, no jogo anterior do clube da Gávea no Engenhão.

Montillo, que desperdiçou penalidade recentemente em derrota diante do Corinthians, permitiu que Vitornio assumisse a responsabilidade. Na cobrança, o zagueiro uruguaio acertou a bola no travessão.

O lance encerrou o bom momento cruzeirense na partida. Aos 35min, em um belo chute e com certa sorte, Deivid empatou para o Flamengo: o atacante arriscou de longe, com força. A bola bateu no travessão e nas costas do goleiro Fábio antes de entrar.

Ainda antes do intervalo, aos 44min, Thiago Neves quase virou. O camisa 7 bateu de fora da área e obrigou o goleiro cruzeirense a fazer grande defesa.

A segunda etapa começou com mais pressão flamenguista. Aos 2min, Junior Cesar fez grande jogada pela esquerda, invadiu a área e cruzou rasteiro. Thiago Neves não dominou e perdeu boa chance.

No lance seguinte, veio a virada. Ronaldinho cobrou escanteio fechado, na segunda trave, e Deivid, de cabeça, fez seu segundo no jogo.

Aos 5min, a situação ficou ainda pior para o clube celeste. Montillo sentiu lesão na coxa e teve que deixar o campo, substituído por Roger.

Em pouco tempo, o Flamengo decidiu o jogo. O terceiro gol veio aos 9min, com Thiago Neves, que dominou na área pela esquerda e chutou cruzado, rasteiro, sem chances para o goleiro.

Aos 10min, Ronaldinho sobrou na área sozinho e, por preciosismo, perdeu um gol incrível, tentando tocar com categoria no ângulo de Fábio com o rosto virado para o lado oposto. A jogada foi interpretada como deboche pelos zagueiros cruzeirenses, que trocaram empurrões com o flamenguista.

O quarto gol da equipe da casa saiu logo aos 12min. Thiago Neves aproveitou cruzamento de Muralha e levou a torcida carioca ao delírio.

A torcida mineira presente no Engenhão começou a deixar o estádio já na metade do segundo tempo. Eles não viram o quinto gol rubro-negro, humilhante: aos 25min, Fábio saiu jogando completamente errado e entregou nos pés de Thiago Neves. O meia tocou por cobertura e marcou um golaço, o seu terceiro na partida.

Embalado por gritos de "olé" da torcida, o Flamengo ainda teve chances de fazer o sexto. Ronaldinho, sobretudo, mostrava querer marcar o dele, mas parou nas defesas de Fábio e nos próprios erros de finalização.

Fonte: Terra, www.terra.com.br