Flu encosta no lider e vence o Vasco  por  2 x 1

Flu encosta no lider e vence o Vasco por 2 x 1

Tricolor ganha por 2 a 1 e se iguala em pontos ao líder Atlético-MG, que joga neste domingo contra o Cruzeiro. Vasco não vence há quatro partidas

Thiago Neves tinha feito dois gols ao longo de todo o Campeonato Brasileiro. Neste sábado, na 19ª rodada, o camisa 10 do Fluminense brilhou e, em 90 minutos, igualou seu desempenho das outras 18. Foram dele os gols tricolores na vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, no Engenhão. Gum (contra) anotou o gol dos vascaínos em jogo recheado de lances polêmicos com relação à arbitragem.

Com o resultado, o Fluminense se mantém em segundo lugar, agora com os mesmos 42 pontos do líder Atlético-MG, porém com uma vitória a menos. O Galo, que vai a campo neste domingo, contra o Cruzeiro, no Indepêndência, tem dois jogos a menos que o Flu no momento. O Vasco aparece em terceiro lugar, com 35 pontos. O time não vence há quatro rodadas (três derrotas e um empate).

Na próxima rodada, quarta-feira, o Fluminense recebe o Corinthians, no Engenhão. O Vasco visita o Grêmio, no Olímpico, no mesmo dia.


Thiago Nevez faz dois e comanda a vitória do Fluminense sobre o Vasco

Flu tem gol anulado. Lance é polêmico

O Vasco entrou em campo sem Eder Luis, machucado. Wiliam Barbio assumiu a vaga de companheiro de ataque de Alecsandro. Havia a expectativa pela escalação de Tenorio, mas o técnico Cristóvão Borges explicou que o equatoriano só está liberado para jogar um tempo de jogo e, por isso, resolveu guardá-lo para a etapa final. Felipe ficou como opção no banco. Carlos Alberto compôs o meio junto a Juninho.

No lado do Flu, que entrou no gramado com camisas em homenagem ao ex-goleiro Félix, ídolo do clube morto na sexta-feira, o técnico Abel Braga teve os retornos de Bruno e Wellington Nem, que estavam machucados, e também de Edinho e Fred, que cumpriram suspensão na rodada passada. Deco e Anderson, bem como o reserva Marcos Júnior, ainda com lesões musculares, seguem fora.

O jogo começou com o Vasco buscando mais o ataque, principalmente pelo lado direito, com subidas de Wiliam Barbio. O time chegou a rondar a área tricolor, mas não conseguiu criar chances cristalinas de gol. Aos poucos, o Flu passou a ter mais a bola e ficou melhor na partida.

Na primeira boa chegada do Tricolor, o time achou o caminho do gol. Carlinhos cruzou da esquerda e Fred cabeceou para a rede. O atacante, porém, não pôde correr para o abraço. O árbitro Marcelo de Lima Henrique marcou falta de Fred em Douglas e anulou o gol. O camisa 9 tricolor reclamou muito no lance.

O primeiro tempo seguiu com ligeiras melhoras e pioras das duas equipes. O Vasco ameaçava com bolas levantadas por Juninho, que jogou com a camisa 114, em referência ao aniversário do clube, celebrado nesta semana. A melhor chance vascaína na etapa inicial se deu aos 24, quando Barbio avançou bem pela direita e serviu Alecsandro na área. O camisa 9 bateu e Gum apareceu para salvar, de carrinho.

O Fluminense, antes do intervalo, ainda ameaçou em cabeçada de Wellington Nem, para fora. No Vasco, um lance chamou atenção: Auremir cruzou da direita e a bola bateu no braço de Jean, colado ao corpo. A arbitragem mandou seguir. As equipes, que deram muita ênfase à marcação, terminaram o primeiro tempo com 50% de posse de bola cada uma.


Thiago Nevez faz dois e comanda a vitória do Fluminense sobre o Vasco

Na volta para o segundo tempo, os treinadores não fizeram substituições. O jogo recomeçou mais veloz e a primeira boa chance foi do Vasco. Aos 4, Carlos Alberto fez grande jogada pela direita e rolou para Barbio. O camisa 44 bateu em direção à pequena área, em busca de Alecsandro, e Bruno fez o corte parcial. O artilheiro, de costas para o gol, emendou de calcanhar. A bola tinha endereço certo, mas Bruno mandou para escanteio com o biquinho da chuteira.

O Fluminense respondeu de imediato. Aos 6, Nem lançou Wagner, que entrou livre pela ponta esquerda e rolou para o meio da área, tentando devolver a bola a Nem. Douglas apareceu para cortar. Depois, aos 12, o Flu chegou novamente com perigo. Thiago Neves bateu e Prass espalmou para a frente. A zaga afastou o perigo.

Arbitragem gera reclamações. De novo

A primeira alteração da partida foi feita aos 16 minutos. Cristóvão resolveu lançar o atacante Tenorio e tirou do time Carlos Alberto. A equipe passou a ter um trio ofensivo com o equatoriano, Barbio e Alecsandro. A formação, porém, durou cinco minutos. Aos 21, Barbio saiu para a entrada do volante Fellipe Bastos. Ao mesmo tempo, no Flu, Abel trocou Wellington Nem, que vinha de três semanas parado, por Rafael Sobis.

Os jogadores em campo mostravam-se nervosos. Ao fim do primeiro tempo, Juninho já havia discutido com Wagner. Aos 24 do segundo, William Matheus e Thiago Neves se estranharam e os dois acabaram advertidos com cartão amarelo.

Os minutos seguintes, porém, seriam de gols. Primeiro, do Fluminense. Aos 26, Wagner recebeu livre na ponta esquerda e cruzou na medida para Thiago Neves, do outro lado da área. O camisa 10 emendou um lindo voleio e abriu o placar no Engenhão. Os vascaínos reclamaram que, no lance anterior ao ataque do Flu, Carlinhos teria feito pênalti ao botar a mão na bola. O contato com o braço do lateral de fato aconteceu, mas a arbitragem julgou que não houve intenção.

A festa tricolor, porém, durou só um minuto. Aos 27, Juninho avançou pela direita e cruzou rasteiro no primeiro pau, buscando Alecsandro. Gum entrou de carrinho, tentando cortar, e acabou mandando a bola para dentro da própria meta: 1 a 1.

Abel resolveu queimar suas últimas duas alterações no Flu: primeiro, Jean saiu para a entrada de Diguinho. Depois, o meia Wagner deu lugar ao atacante Samuel. Foi o Vasco, porém, que por muito pouco não conseguiu o segundo gol, em novo lance polêmico. Aos 35, Tenorio recebeu bola impedido e passou a William Matheus. O lateral devolveu em elevação em Tenorio, agora em posição legal. O equatoriano deu um lençol em Diego Cavalieri e, marcado por dois, cabeceou. A bola caprichosamente beijou o travessão e não entrou.

O jogo ficou aberto, as duas equipes tentando o gol da vitória. Cristóvão tento dar novo gás ao lado direto do Vasco, trocando Auremir por Jonas. Mas foi o Flu que sorriu no fim. Aos 41, Thiago Neves bateu falta do bico esquerdo da grande área. A bola passou pelo lado da barreira e entrou no cantinho direito de Prass, que só olhou. Festa de Thiago e comemoração batendo palmas em homenagem à filha Maria Carolina, que completa dois anos neste sábado. Foi a senha para a festa tricolor no Engenhão.

Fonte: Globo Esporte