Time alternativo do Cruzeiro cumpre seu papel e vence o América sem dificuldades

Time alternativo do Cruzeiro cumpre seu papel e vence o América sem dificuldades

Com dois passes de Willian e dois gols de Léo, ambos de cabeça, time celeste derrota o Coelho e muda o foco para a estreia na Libertadores

O Cruzeiro pôs à prova o tão falado elenco qualificado, e comprovou o que é dito. Com o time reserva, controlou e venceu o clássico contra o América-MG, que lutou muito, mas não foi páreo pra Raposa. Em dia inspirado do zagueiro Léo, que marcou duas vezes, e do atacante Willian, que deu os dois passes, o time celeste venceu por 2 a 0 e se manteve na liderança, com tranquilidade para pensar na Libertadores. Já o alviverde segue sem vencer no Mineiro e tem dois pontos ganhos.

Pode até ter faltado entrosamento e alguns momentos, mas sobrou time para o Cruzeiro. Com reservas como Willian, Léo, Henrique e Júlio Baptista, a Raposa foi superior e construiu a vitória com certa tranquilidade, ainda no primeiro tempo. O Coelho apostou numa postura defensiva. Ia bem, até a bola parada do adversário funcionar. Depois, até tentou correr atrás, mas não foi capaz. O Cruzeiro levou a partida como quis, e só não fez mais por que não pressionou.

Os dois times voltam a campo na quarta-feira, mas em competições diferentes. O Cruzeiro faz sua estreia na Libertadores contra o Real Garcilaso, às 22h (de Brasília), em Huancayo, no Peru. A partida terá transmissão da TV Globo Minas. Já o Coelho entra em campo às 19h30m, contra a URT, no Independência, em jogo adiantado da 11ª rodada.

O jogo começou com uma dinâmica bem definida. O Cruzeiro tinha posse de bola e trocava passes, mas não conseguia penetrar na defesa alviverde. O América-MG, recuado, marcava firme e não dava espaços. No entanto, foi quem deu o primeiro chute a gol, com Willians de fora da área. Apenas com reservas, a Raposa sentia a falta de entrosamento, mas conseguia chegar na qualidade técnica. Primeiro com Júlio Baptista, aos 12 minutos, que finalizou mal de dentro da área, e depois, com Tinga, em chute de fora, que deu rebote e Marlone quase aproveitou.

O América-MG fazia o jogo dele. Preocupava-se em defender e esperava encaixar um contra-ataque. Mas aí uma das armas do time do Cruzeiro funcionou: a bola parada. Aos 31 minutos, Willian cobrou falta na área, Léo desviou para o fundo do gol e abriu o placar. Logo em seguida, Willian quase marca um belo gol. Ele recebeu passe na esquerda e finalizou de primeira, com efeito. A bola foi na trave. Aos 43, nova falta para o Cruzeiro pela esquerda, novamente Willian na cobraça... Gol de Léo. No embalo da dupla Willian e Léo, o time celeste foi para o vestiário vencendo por 2 a 0.

Só administrou

O segundo tempo começou mais aberto. O técnico Silas mexeu na equipe, tornando o Coelho mais ofensivo. O Cruzeiro mantinha seu ritmo, com trocas de passes envolventes, mas não mostrava tanto ímpeto para ampliar. Quando queria, imprimia velocidade e conseguia chegar, embora pecasse no último passe. O América-MG, no entanto, passou a ter mais a bola, mas só conseguia chegar ao gol de Fábio em chutes de fora da área ou escanteios.

Os primeiros vinte minutos passaram sem uma oportunidade clara para qualquer um dos lados. Só quando Mayke foi ao fundo pela direita e cruzou para Júlio Baptista desviar de cabeça o gol esteve próximo. Matheus fez grande defesa e evitou o terceiro. O Cruzeiro conseguia chegar com facilidade pela direita. Foi por lá que Élber também levou perigo. No entanto, a Raposa não se interessava em lançar ao ataque. O América-MG, por outro lado, atrás do placar, até tentou buscar, mas faltou qualidade. Kaio entrou e deu movimentação, mas não havia quem criasse. Apagado, Obina só apareceu mesmo nos gritos da torcida e em um lance nos acréscimos, quando quase escorou falta cobrada por Danilo.

Willian e Léo

Fonte: GloboEsporte.com