Campeonato Brasileiro: STJD pode livrar Fluminense e Vasco e rebaixar Flamengo e Lusa

Campeonato Brasileiro: STJD pode livrar Fluminense e Vasco e rebaixar Flamengo e Lusa

Na situação atual, Fluminense e Vasco foram rebaixados, com 46 e 44 pontos

A última rodada foi realizada no fim de semana, mas o Campeonato Brasileiro de 2013 está longe de chegar ao fim. A parte de baixo da tabela da competição, que agitou as últimas rodadas, continua dando o que falar, e até a situação dos rebaixados pode sofrer alteração. Com Portuguesa e Flamengo correndo risco de perder quatro pontos cada um por terem escalado jogadores de forma irregular no último jogo, e o Vasco tentando conquistar três pontos através da impugnação da partida contra o Atlético-PR, as classificações finais de Fluminense, Vasco, Flamengo e Portuguesa podem ser trocadas por decisões extracampo.

Na situação atual, Fluminense e Vasco foram rebaixados, com 46 e 44 pontos, respectivamente, ao lado de Ponte Preta e Náutico. Caso Portuguesa e Flamengo percam pontos no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Fluminense seria o grande beneficiado, escapando da degola e empurrando a Lusa, que passaria a ter 44 pontos, para o seu lugar. O Rubro-Negro, atual 11º colocado, desceria para o 16º lugar, com 45 pontos, mas permaneceria na Série A. Só cairia se apenas ele perdesse os pontos, sem a companhia da Portuguesa. Nesse cenário, os 45 pontos do Flamengo o deixariam no Z-4, em 17º lugar. A Lusa manteria seus 48.

O Flamengo ainda poderia entrar na lista dos quatro últimos caso, além de perder seus pontos, o Vasco tenha deferido no Tribunal o recurso que anula a goleada sofrida para o Atlético-PR - paralisada por 73 minutos, 13 a mais do que o permitido pelo regulamento da CBF, devido à briga entre as torcidas. Neste caso, escapariam tanto o Vasco, que passaria a ter 47 pontos, quanto o Fluminense, com os mesmos 46. E deixariam em seus lugares o rival Flamengo, com 45 pontos, e a Portuguesa, com 44.

O STJD já está ciente dos casos de Portuguesa e Flamengo e, segundo o procurador geral Paulo Schmitt, a CBF deve enviar ao Tribunal uma notícia de infração ainda nesta quarta-feira. Expulso contra o Bahia, o meia Héverton cumpriu suspensão automática diante da Ponte Preta e foi julgado na última sexta-feira pela 4ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Pegou dois jogos de suspensão e deveria cumprir mais um contra o Grêmio no último domingo. Mas foi relacionado e entrou aos 32 minutos do segundo tempo do empate por 0 a 0. A própria CBF entrou em contato com a entidade nesta terça-feira para perguntar se Héverton havia conseguido um efeito suspensivo para entrar em campo. A resposta foi negativa. A punição seria a perda de quatro pontos (três mais o número de pontos conquistado no jogo).

No caso do Flamengo, o lateral André Santos também teria atuado de forma irregular. Expulso contra o Atlético-PR na segunda partida da final da Copa do Brasil, o jogador foi outro a ser julgado na última sexta e pegou um jogo, mas mesmo assim enfrentou o Cruzeiro no sábado. André tinha ficado fora do jogo contra o Vitória, primeiro depois da final contra o Furacão, mas não contou como suspensão. Por ser partida de outra competição, ela não é tida como caso de automática. Somente após o julgamento da última sexta ficou caracterizada a necessidade de se cumprir a punição.

Já o recurso pedido pelo Vasco chega ao STJD nesta quarta-feira, e a decisão está nas mãos do presidente do Tribunal, Flavio Zveiter. O clube da Colina tenta a anulação do jogo contra o Atlético-PR, conseguindo assim os três pontos que evitariam o rebaixamento.

Além disso, a Procuradoria Geral do STJD denunciou o Atlético-PR, o Vasco, as federações de futebol do Paraná e de Santa Catarina e o árbitro Ricardo Marques Ribeiro como responsáveis pelo incidente ocorrido na Arena Joinville no domingo, quando torcedores dos dois times se enfrentaram na arquibancada. Não há risco de perda de pontos nesse julgamento, marcado para 13h de sexta-feira. Os clubes podem ser multados em até R$ 100 mil e perderem até 20 mandos de campo.

Fonte: Globo Esporte