Troca de farpas esquenta o jogão que define hoje o primeiro finalista da Liga

Em momento ruim, defesa do Bayern precisa segurar ataque do Real, no qual luso pode bater marca como maior artilheiro em uma só edição da Liga

Ingredientes não faltam para que o duelo entre Bayern de Munique e Real Madrid, nesta terça-feira, seja um dos melhores jogos da temporada europeia. Válida pela volta das semifinais da Liga dos Campeões, a partida colocará frente a frente a defesa alemã, uma das melhores do continente, e o ataque merengue, o mais eficiente dos principais torneios nacionais. Adicione a isso a recente guerra de palavras entre jogadores, dirigentes e técnicos das duas equipes e a possibilidade de mais um recorde para Cristiano Ronaldo e pronto: promessa de jogão.

No confronto de ida, disputado no Santiago Bernabéu na última quarta-feira, o Real Madrid venceu por 1 a 0, resultado que deixa os merengues em vantagem em Munique: eles podem empatar ou perder por até um gol de diferença, desde que balancem as redes. Tarefa que, desde que o Bayern foi campeão alemão, tornou-se muito mais fácil.

Nos dois últimos meses até garantir o título da Bundesliga, a defesa bávara tinha uma média de 0,38 gols sofridos, levando cinco em 13 jogos. Depois disso, as coisas mudaram: Neuer foi vazado 14 vezes em 10 jogos, média de 1,4. Nestas partidas, destaque para a derrota por 3 a 0 em casa para o Borussia Dortmund.

CR7 PODE BATER MARCA

O retrospecto recente do Bayern encoraja ainda mais o Real Madrid. Afinal, os merengues têm o melhor ataque entre as principais ligas nacionais, com 98 gols no Campeonato Espanhol, e ainda contam com o atual melhor jogador do mundo. Cristiano Ronaldo passou em branco no jogo de ida, mas já anotou 51 vezes em 45 jogos na temporada.

Além disso, o craque luso é o artilheiro da Champions, com 14 gols. E tem uma motivação a mais para a partida: caso marque mais uma vez, será o recordista de uma só edição da competição, superando Altafini, Van Nistelrooy e Messi. Há mais: CR7 está a dois gols de se igualar ao rival argentino na lista de maiores artilheiros da história do torneio: 67 contra 69, enquanto o líder Raúl tem 71.

TOMA LÁ, DÁ CÁ

Para tentar superar o mau momento defensivo e retomar os bons resultados, o Bayern confia no fator casa. Logo após a derrota em Madri, que gerou críticas ao estilo de jogo da equipe, capaz de dominar a posse de bola, mas não de fazer um gol, o presidente do clube bávaro, Karl-Heinz Rumenigge, previu um ambiente totalmente favorável em Munique.

- Temos qualidade em nossa casa. Lembra um inferno. Devemos dar um banho quente neles. Eu me levantei na tribuna depois do 1 a 0 e não tive a impressão que a torcida do Real estivesse contente com o resultado. Na partida de volta, teremos 70 mil dando apoio para a gente. Em Munique, vão queimar todas as árvores ? disse o dirigente.

O tom de Rumenigge não foi bem recebido no Real. Marcelo, por exemplo, ironizou o presidente do Bayern e não mostrou preocupação com a pressão na Allianz Arena. Afinal, este será o terceiro adversário alemão dos merengues no mata-mata. Antes, eles eliminaram Schalke 04 e Borussia Dortmund.

- Pois se vão queimar todas as árvores, que chamem os bombeiros ? provocou o lateral brasileiro.

Na segunda-feira, dia de entrevistas coletivas, a troca de farpas se manteve. Guardiola, que aposta as fichas num Ribéry mais ?raivoso?, apelou para o discurso motivacional e disse já ter lido jornais em Madri dando a classificação do Real como certa. Ancelotti rebateu instantes depois.

- Não somos tontos de pensar que ganhamos nada! A partida de amanhã (terça-feira) é complicada e ninguém aqui acha que já ganhou. Temos uma pequena vantagem e queremos nos aproveitar dela ? respondeu o técnico do Real Madrid.

Em comum, os dois treinadores admitiram mudar o estilo de suas equipes. Guardiola quer manter o controle da partida, mas pensa num time mais agressivo. Ancelotti não quer o Real tão "tímido" quanto no jogo de ida.

- Eu quero ser tão dominante como em Madri. Mas o time precisa ser mais agressivo. O problema é que as vezes se perde o controle da partida sendo muito agressivo. Não podemos deixar espaços, porque vimos na primeira partida que não se pode frear o Real Madrid - analisou Guardiola.

BALE DE VOLTA

Para garantir a classificação, o Real deve contar com o retorno de Gareth Bale. O galês atuou apenas 15 minutos na partida de ida, por causa de uma gripe, mas garantiu que está 100% para a partida em Munique, embora não tenha sido confirmado como titular.

- Estou me sentindo bem, treinando bem e espero jogar contra o Bayern ? avisou Bale.


Troca de farpas, fases opostas e CR7 perto de recorde: os ingredientes de Bayern x Real

Troca de farpas, fases opostas e CR7 perto de recorde: os ingredientes de Bayern x Real

Fonte: GloboEsporte