Piauiense 2013: Barras e Flamengo não saem do zero

Piauiense 2013: Barras e Flamengo não saem do zero

O campo, segundo os atletas da raposa, foi decisivo para que o Flamengo não tenha conquistado a vitória.

Barras e Flamengo fizeram um jogo truncado e não saíram do zero na tarde deste sábado no estádio Juca Fortes, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Piauiense Chevrolet 2013. A partida mostrou um Flamengo mais ofensivo que o Barras, apesar de um importante desfalque rubro negro: O lateral esquerdo Rafinha, contundido após levar pancada no quadril durante os treinos da semana, nem viajou com o grupo ? e o jeito encontrado pelo técnico Celso Teixeira foi improvisar o zagueiro Wildinho no setor esquerdo.

Nos primeiros minutos de bola rolando, o Barras tentava chegar ao ataque pela esquerda, aproveitando a lacuna deixada por Rafinha, mas o lateral Fred teve várias jogadas barradas pelo zagueiro grandalhão Duda. O Bafo chegou bem pela primeira vez na casa dos 10 minutos, quando Lima cobrou falta, Robson espalmou e o atacante Luiz Henrique acabou pegando a sobra, mas cabeceou para fora.





O Flamengo reagiu e cresceu a partir dos 15 minutos, adiantando a marcação e chegando com mais frequência ao setor ofensivo. Com isso, não demorou até a primeira oportunidade clara surgir: O zagueiro rubro negro Rafael Araújo teve grande chance ao aproveitar a sobra de uma bola pingada na área ? mas cabeceou para fora do gol do goleiro Douglas. Aos 20 minutos, outro lance de perigo do rubro negro: Augusto perseguiu uma bola que parecia perdida na direita, cruzou para a área e Edson Di cabeceou no canto esquerdo, em cima de Douglas, que mandou para a linha de fundo.

A pressão da Raposa continuava. Aos 25, o meia Neilson bateu prensado na área, Augusto se esticou para aproveitar a sobra, dominou mas acabou finalizando à direita do gol. O Barras tentava usar o jogo aéreo para responder às investidas do Flamengo, e foi em uma bola alta que o time chegou perto de abrir o placar aos 34 minutos: Anderson cabeceou perigosamente após cobrança de falta da esquerda.

Os times voltaram sem mudanças para o segundo tempo, e quando a bola rolou na etapa complementar, o que se viu foi um jogo morno, sem muitos ataques perigosos de ambos os lados. Aos 10 minutos, Celso Teixeira optou por sacar Augusto, e mandou Lúcio Bala para o jogo, com a tarefa de compor a dupla de ataque com Edson Di.

O estreante entrou em campo em um momento em que o jogo voltava a ser mais pegado ? prova disso é que o próprio Lúcio acabou levando a pior em uma dividida de bola. Saldo: um corte ao lado do olho direito ? o que obrigou o meia atacante a usar uma espécie de touca pra proteger o ferimento. Com isso, Lúcio passou a ser o segundo em campo a usar uma touca: o volante Alessandro também estava usando o acessório, em virtude de uma pancada logo no começo da partida.

O próprio Alessandro, aliás, sentiu o machucado na cabeça e, sem condições de jogo, deu lugar a Darlan na segunda etapa ? uma tentativa de Celso Teixeira de conseguir o gol da vitória, jogando com três homens de ataque. No entanto, o jogo continuava ?travado?, e o treinador do rubro negro mudou de estratégia: decidiu assegurar o empate, tirando o atacante Edson Di e mandando o zagueiro Laércio para o jogo.

Danilo Queiroz, técnico do Barras, tentou fazer com que o time reagisse, recorrendo ao banco e utilizando nomes como Kaio e o atacante Felipe. A partir dos 40 minutos, o time da casa tentou pressionar para fazer o resultado, mas o ataque deu pouco trabalho ao arqueiro rubro negro, Robson. A chance mais clara do bafo neste momento da partida veio aos 42 minutos, quando Anderson recebeu lançamento alto na direita da grande área, limpou a zaga e, cara a cara com o gol, acabou isolando. Um minuto depois, outra boa chance do Barras: Felipe recebeu na entrada da área, dominou e mandou pela linha de fundo. Fim de jogo, 0 a 0 no Juca Fortes.

O campo, segundo os atletas da raposa, foi decisivo para que o Flamengo não tenha conquistado a vitória. ?O gramado não é bom, e isso dificultou bastante nosso toque de bola?, avaliou o estreante Lúcio Bala. Já o técnico Celso Teixeira ficou na bronca com a arbitragem. ?Fomos prejudicados, e isso ficou claro. Vi pelo menos dois lances de pênalti a nosso favor?, resumiu o técnico.

O próximo compromisso do Flamengo é o jogo contra o Cori-Sabbá, no Lindolfo Monteiro, no dia 11/03 (segunda). O Barras, por sua vez, vai a Piripiri enfrentar o 4 de Julho, na arena Ytacoatiara, no próximo sábado (09/03).

Fonte: Dowglas Lima