Vagner Love, do Flamengo, nega conhecer homens que aparecem armados em vídeo

Vagner Love, do Flamengo, nega conhecer homens que aparecem armados em vídeo

Love contou que não se arrepende de ter ido ao baile funk e que há quatro anos faz um trabalho social

O atacante Vagner Love, do Flamengo, negou à polícia que conheça supostos traficantes que aparecem armados nas imagens exibidas no Fantástico na semana passada. Ouvido na 15ª DP (Gávea) na manhã desta terça-feira (23), ele afirmou que vai evitar frequentar a favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, onde o vídeo foi gravado.

?Depois, pensando mais, a gente vê que é uma coisa chata. É minha raiz e minhas origens, mas não tenho que estar sempre indo lá ?, disse ele, que foi ouvido durante cerca de 40 minutos, acompanhado de seu advogado.

Love contou que não se arrepende de ter ido ao baile funk e que há quatro anos faz um trabalho social na comunidade, durante o Natal. O jogador afirmou que agora só pretende voltar à comunidade para ajudar no projeto. ?Não estou arrependido, mas quando a gente põe a cabeça no lugar, a gente sabe que não é uma coisa legal, pelas coisas que têm lá dentro. Mesmo eu tendo presenciado aquilo desde pequeno, acho que não é uma coisa legal?, afirmou Love.

Escolta armada

Love argumentou que os homens armados que aparecem ao seu redor nas imagens não faziam sua escolta. "Acho que qualquer pessoa pública que chegar lá eles vão querer estar do lado porque é uma pessoa pública", disse.

Em nota à imprensa, na época da publicação da reportagem, a Polícia Civil afirmou que "não há indícios de que as demais pessoas que aparecem nas imagens estejam cometendo algum crime, tal como o jogador do Flamengo Vagner Love. O atleta deverá prestar depoimento como testemunha".

Testemunha

O atacante foi ouvido na 15ª DP (Gávea). De acordo com a polícia, Love prestou esclarecimento na condição de testemunha de um inquérito aberto para identificar os supostos traficantes armados que aparecem nas imagens.

Um dos homens que acompanham o jogador nas imagens é Marcelo Alves de Brito, que foi morto numa operação policial. Outro homem identificado, segundo Estelita, é o traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, conhecido como Nem.

Ainda de acordo com Estelita, este novo inquérito investiga tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de armas. Ele afirmou que, a princípio, o atacante do Flamengo não será convidado novamente a ir à polícia.

Arma de guerra com supostos traficantes

As imagens de Vagner Love num baile funk na Rocinha foram feitas uma câmera escondida no dia 27 de fevereiro e exibidas no último domingo (13), no Fantástico. O vídeo também mostra uma arma de fabricação sueca, usada pelo Exército norte-americano em guerras. Segundo a Polícia Civil, trata-se de uma AT-4, utilizada nos confrontos do Iraque e do Afeganistão.

Love chegou na Rocinha em um carro importado preto e, na entrada do baile, um traficante armado com um fuzil seguiu na frente e outro, também armado, chegou atrás e o acompanhou até a quadra onde ocorria a festa.

No dia da festa, o Flamengo havia vencido o Macaé por quatro a um, em Volta Redonda, com dois gols de Love. Ele confirmou que foi ao baile comemorar a vitória.

?Eu sempre frequentei, sempre fui e não vejo problema nenhum isso. Eu costumo ir a alguns lugares, tenho alguns trabalhos sociais em alguns lugares desses e por isso eu frequento, tenho afilhado, tenho amigo. Então nunca vou deixar de frequentar a minhas origens, minhas raízes?, disse o jogador na época.

Fonte: g1, www.g1.com.br