Vaiado, Flamengo vence o Caracas e terá de torcer para ir às oitavas

Vaiado, Flamengo vence o Caracas e terá de torcer para ir às oitavas

Ainda não foi nesta quarta-feira que terminou a novela do Flamengo na Libertadores da América

Ainda não foi nesta quarta-feira que terminou a novela do Flamengo na Libertadores da América de 2010. Jogando no Maracanã, a equipe do (ameaçado) técnico Andrade derrotou o Caracas-VEN por 3 a 2, em partida válida pela sexta rodada do Grupo 8 da competição. Mas não conseguiu ainda definir sua classificação para as oitavas de final.

Com dez pontos em seus seis jogos, o Flamengo garante o segundo lugar em sua chave - o Caracas fica na lanterna, com apenas dois. O time está virtualmente dentro da segunda fase, mas ainda depende de uma vitória de qualquer um dos times no duelo desta quinta-feira entre Internacional (nove pontos em cinco jogos) e Deportivo Quito (dez pontos), pelo Grupo 5. Empate classifica ambos e elimina os cariocas.

Ainda que Inter ou Quito vençam, o Flamengo ainda pode ficar de fora. Para isso, depende de uma vitória por mais de quatro gols do Racing de Montevidéu (sete pontos em cinco jogos) sobre o Cerro Porteño (eliminado) pelo Grupo 1. Por enquanto, mesmo com a vitória, o Flamengo ainda precisa continuar torcendo pelas próximas 24 horas, assim como fez nesta quarta-feira no Maracanã.

Vaiado ao longo de quase toda a partida, o Flamengo ainda contou com a pressão vinda das arquibancadas do Maracanã. A torcida não poupou de críticas o goleiro Bruno, chamado de "frangueiro" em cartazes ao redor do campo. Andrade, com a corda no pescoço, ouvia os flamenguistas pedirem a volta de Joel Santana, atualmente campeão carioca com o Botafogo.

Com este clima, o jogo no Rio começou em ritmo acelerado, dando apenas uma amostra do sufoco que o Flamengo teria pela frente. Logo aos 11min do primeiro tempo, após levantamento pela direita, Chichero escorou na esquerda. A bola sobrou de frente para o gol, e Castellín apareceu sem marcação para se atirar e fazer 1 a 0.

No entanto, o Flamengo conseguiu uma reação rápida e virou minutos depois. Primeiro, em cobrança de escanteio pela direita aos 17min, que Ronaldo Angelim cabeceou e mandou por cima do goleiro Toyo. Depois, aos 19min, em rápido contra-ataque, que terminou com o meia Michael entrando na área pela esquerda e batendo cruzado para fazer o segundo.

Com Toyo passando pouca segurança, os rubro-negros pressionaram ao longo de todo primeiro tempo, mas sem conseguir fazer seu terceiro gol. Mesmo assim, criaram ótimas chances - aos 31min, Adriano desperdiçou o cruzamento da esquerda e escorou para fora, enquanto aos 40min Juan chutou, Toyo espalmou e a zaga mandou para fora.

Após o intervalo, o jogo parecia dar tranqüilidade ao Flamengo, que fez o terceiro com Vagner Love aos 2min - a arbitragem, porém, assinalou impedimento e invalidou o gol. Mesmo assim, as poucas chances criadas pelos venezuelanos continuaram dando liberdade aos cariocas, que não deram vida fácil a Toyo.

O gol, que estava amadurecendo, quase saiu aos 16min, em levantamento de Vágner Love que Léo Moura escorou pela direita. A bola ainda passou por Toyo, mas Chichero conseguiu desviar a bola no susto quase em cima da linha, e tirou a bola da trajetória do gol.

E o gol perdido fez falta. Aos 23min, em bobeada da zaga flamenguista, Gomez disparou pela esquerda, fez bonita jogada pela linha de fundo e tocou alto na saída de Bruno, empatando o jogo. Porém, depois de mais este banho de água fria, o zagueiro David recolocou os flamenguistas na frente aos 30min, aproveitando a sobra de bola na área e escorando a bola rasteira para fazer o Maracanã explodir de novo.

Dos dois lados, chances foram criadas que poderiam aliviar ou complicar o Flamengo. Aos 33min, Léo Moura recebeu pela direita de Vagner Love e teve o gol aberto para fazer 4 a 2, mas mandou para fora. Em compensação, Figueroa levantou a bola na área pela direita e quase colocou a bola no ângulo de Bruno, que precisou se esticar para evitar uma surpresa.

Apesar do sofrimento nos minutos finais, o Flamengo não conseguiu ir além do 3 a 2. Agora, precisa apenas torcer para saber se sua campanha na Libertadores terminou diante do Caracas ou segue pelas oitavas de final.



Clássico chileno sem gols

Também pelo Grupo 8, Universidad do Chile e Universidad Católica empataram por 0 a 0 pela sexta rodada. Os primeiros foram a 12 pontos e confirmaram o primeiro lugar da chave, enquanto a Católica foi a sete e deu adeus à competição.

Fonte: Terra, www.terra.com.br