Vasco vira e vai às semifinais da Copa Sul-Americana

Vasco vira e vai às semifinais da Copa Sul-Americana

O Vasco eliminou o Universitário, do Peru, ao fazer 5 a 2.

Em jogo com três expulsões, briga entre jogadores e muita discussão em campo, o zagueiro Dedé foi o maior responsável por garantir a classificação do Vasco à semifinal da Copa Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, em São Januário, ele marcou dois gols, deu uma assistência e comandou a equipe em mais uma impressionante virada na competição: precisando vencer por três gols de diferença, eliminou o Universitário, do Peru, ao fazer 5 a 2.

Dedé primeiro foi vilão: desviou chute de Rabanal no segundo tempo, o que acabou causando o segundo gol do Universitário. Com 2 a 1 no placar, o time cruzmaltino precisaria marcar mais quatro vezes para se classificar. Entre discussões de jogadores, que chegaram a brigar no gramado, e expulsões, ele liderou a equipe no ataque, em sua 100ª partida pelo clube.

O resultado marca mais uma impressionante recuperação do time cruzmaltino na Sul-Americana: nas oitavas, entrou em desvantagem contra o Aurora e avançou com um 8 a 3. Nesta quarta-feira, em jogo marcado por agressão entre jogadores e três expulsões, o time conseguiu seu objetivo atuando com o time principal, apesar de ainda brigar pelo título do Campeonato Brasileiro.

O Universitário, que vive crise financeira, volta a campo no sábado para enfrentar o Cobresol, pelo Campeonato Peruano ¿ a equipe ocupa apenas a sexta colocação. O Vasco, por sua vez, tem o clássico com o Botafogo pela frente, às 19h (de Brasília) do domingo, no Engenhão. Se vencer e contar com tropeço do Corinthians, pode voltar à liderança do Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Vasco entrou em campo esbanjando motivação. Motivos não faltavam: sem marcar há três jogos e fraquejando no Campeonato Brasileiro, prescisava de boa atuação para ganhar fôlego; vinha de uma virada depois de resultado adverso, quando se classificou massacrando o Aurora por 8 a 3; recebeu a visita do técnico Ricardo Gomes, que se recupera de um AVC, no almoço; e por fim ia atuar com a equipe titular.

Com a presença maciça da torcida cruzmaltina, o jogo foi tenso. Após pequenas disputas e reclamações a cada vez que uma falta era marcada e a bola era tocada para longe os jogadores trocavam empurrões. A confusão começou após o apito final do primeiro tempo, quando jogadores de ambos os clubes chegaram a se agredir. A discussão continuou pelo túnel do vestiário, em clima tenso.

Antes disso, o Vasco dominou plenamente o jogo e acertou a trave logo aos 10min, quando Elton desviou cruzamento de cabeça. Aos 21min, após bate-rebate dentro da área, a bola sobrou para Juninho, que foi chutado por três jogadores do Universitário. Carlos Amarilla deu pênalti. O Vasco abriu o placar em cobrança de Diego Souza, que colocou a bola com categoria no canto direito do goleiro Llontop.

O clima em São Januário esquentou ainda mais, o suficiente para permitir que, em desatenção, o Universitário pudesse empatar. Após rápido contra-ataque, Ruidíaz recebeu cruzamento longo, pegou de primeira na bola e encobriu o mal posicionado Fernando Prass para acabar com a empolgação vascaína. Com os ânimos exaltados, os jogadores brigaram na ida para o vestiário. Na volta para o segundo tempo, Amarilla expulsou Diego Souza e Gonzáles por conta do tumulto.

O jogo mal recomeçou e o Universitário conseguiu virar o placar: Rabanal aproveitou sobra em cobrança de escanteio e bateu de fora da área. A bola desviou em Dedé, que completou 100 jogos nesta quarta-feira, e tirou Fernando Prass do lance. Neste ponto, o Vasco precisava de mais três gols. A reação foi quase imediata: o time brasileiro deu a saída, foi ao ataque e, em cruzamento, Elton desviou de cabeça para empatar.

Aos 12min saiu o quinto gol da noite, o terceiro do Vasco: Dedé recebeu pela direita, tentou o cruzamento e contou com a ajuda do goleiro Llontop, que aceitou ao tentar agarrar a bola no chão. Pouco depois, Fagner tentou bloquear chutão de Rabanal e levou um tapa do peruano, que acabou expulso, deixando o anfitrião em vantagem numérica em campo. Assim, o Vasco partiu para cima em buscar do resultado que parecia tão complicado.

Dedé fez mais um gol aos 26 minutos, cabeceando em cobrança de falta e mandando a bola no ângulo direito de Llontop. O quinto gol, que já seria suficiente para a classificação, saiu aos 36 minutos, em nova participação do zagueiro vascaíno. O jogador desviou de cabeça uma cobrança de escanteio, Alecsandro se antecipou e desviou a bola para o fundo das redes.

Nos minutos finais, o Vasco fez festa com a sua torcida e até criou algumas oportunidades de ampliar o placar. Não levou sustos do Universitário, que não teve forças para se recuperar - com dois homens a menos, jogava no sistema 4-3-1 tentando segurar o placar, tarefa que foi impossível por causa de Dedé.

Vasco 5 x 2 Universitário

Gols

Vasco:

Diego Souza, aos 23min do primeiro tempo; Elton, aos 3min do segundo tempo; Dedé, aos 12min e 26min; e Alecsandro, aos 36min

Universitário:

Ruidíaz, aos 31min do primeiro tempo, e Rabanal, aos 2min do segundo tepo

Vasco: Fernando Prass; Fagner (Allan), Dedé, Renato Silva e Diego Rosa; Nilton, Fellipe Bastos (Bernardo), Juninho e Diego Souza; Eder Luís (Alecsandro) e Elton. Técnico: Cristovão Borges

Universitário: Luis Llontop; José Mendoza, Carlos Galván , John Galliquio (Néstor Duarte) e; Jesús Rabanal; Rainer Torres, Antonio González, Pablo Vitti e Flores (Martín Morel); Raúl Ruidíaz e Johan Fano (Ampuero). Técnico: José ¿Chemo¿ Del Solar

Cartões amarelos

Vasco: Dedé, Nilton, Bernardo, Juninho, Eder Luís e Elton

Universitário: Luis Llontop , Rainer Torre s, Flores e Martín Morel

Cartões vermelhos

Vasco: Diego Souza

Universitário: Jesús Rabanal e Antonio González

Árbitro

Carlos Amarilla (PAR)

Local

Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Fonte: Terra