Palmeiras e Santos ficam no 1 a 1

Em jogo com um tempo para cada time, Santos arranca empate com Palmeiras

No primeiro jogo sem Vanderlei Luxemburgo, o Palmeiras deu a impressão de que conseguiria uma vitória importante no Palestra Itália. Mas não contava com a estrela de Robson, que entrou no segundo tempo e empatou para o Santos por 1 a 1, na noite deste domingo, pelo Brasileiro. O gol do santista impediu o Verdão de terminar a rodada no G-4 e pôs o time da Baixada em 11º. Se a primeira etapa foi dos anfitriões, os visitantes tomaram conta do segundo tempo.

Com o resultado, o Alviverde fica com a quinta posição, com 13 pontos, e o Santos soma dez pontos. Na próxima rodada, o Palmeiras encara o Avaí em Florianópolis, no domingo. Um dia antes, o Peixe recebe o Sport.

Torcida hostiliza demitido Luxemburgo. Obina marca

A torcida palmeirense, que compareceu em pequeno número (pouco mais de oito mil pagantes), tinha dois alvos de protesto: o técnico Vanderlei Luxemburgo, demitido na última sexta-feira, e o zagueiro Domingos, que se envolveu em uma confusão com Diego Souza nas semifinais do Paulistão. Gritos de mercenário e palavrões foram direcionados ao treinador, que saiu por declarar que não aceitaria Keirrison de volta se este não acertasse com o Barcelona. Ao defensor santista, também houve vaias e xingamentos.

Comandado pelo interino Jorginho, o Palmeiras começou com mais posse de bola. O time até aparecia perto da área santista, principalmente com Diego Souza e Willians. Mas não conseguia concluir. O Peixe só chegava na frente em lances de contra-ataque, geralmente puxados por Madson.

Obina, que ganhou uma vaga com a saída de Keirrison (o atacante ainda acerta com o Barcelona), começou a se mostrar importante para o Palmeiras na partida. Aos 16 minutos, ele apareceu pela esquerda e lançou Willians, que tentou tocar de cabeça por cima do goleiro. Douglas fez a defesa.

Obina comemora o gol do Palmeiras, que saiu na frente no placar no clássico contra o Santos

O atacante ainda tentou uma outra jogada com Willians, mas a defesa tirou. No rebote, Pierre chutou por cima do travessão. Aos 32, Obina foi presenteado pelo esforço: Cleiton Xavier desceu pelo meio e tentou o chute. Douglas espalmou, mas a bola caiu nos pés do atacante, que só teve o trabalho de empurrar para a rede: 1 a 0.

Pouco ameaçador, o Santos só conseguiu uma boa chance aos 37, em uma cobrança de falta de Fabão da intermediária. Marcos precisou espalmar por cima do gol. Mas o goleiro palmeirense não levou sustos no primeiro tempo. E o time da casa foi para o intervalo com a vantagem no placar.

Robson entra e muda o placar

Vágner Mancini, insatisfeito com a criação do meio-campo, pôs Robson no lugar do garoto Neymar. O Palmeiras, que já tinha a vantagem no placar, passou a apostar nos contra-ataques. O Peixe aproveitou o recuo do adversário e arriscou mais no início. Aos sete, Paulo Henrique tentou em cobrança de falta, mas a bola bateu na barreira. O Santos era mais presente no lado palmeirense.

Com a necessidade de sair para buscar o empate, o time da Vila Belmiro também deixou espaços para o Palmeiras. E Willians tentou aproveitar aos dez minutos. Ele desceu pela esquerda e tentou achar Obina na área, mas o passe foi forte demais.

Domingos e Diego Souza, envolvidos em polêmica no Paulistão, se cruzam no clássico Aos 18, o Peixe assustou o goleiro Marcos com Madson, que arriscou um chute forte, mas sem mira. A conclusão do jogador aconteceu após uma sucessão de jogadas do Santos diante da área alviverde. Aos 26, Marcos fez a primeira grande defesa na partida. E que defesa! Robson chutou na área em cima do camisa 12, que espalmou e levantou a torcida.

Edmilson, que ficou três meses afastado por causa de uma fratura no cotovelo direito, entrou na vaga de Pierre. Os dois foram muito aplaudidos. Mas a torcida logo voltou a ficar apreensiva, pois a pressão do Santos aumentava. O time chegou na cara de Marcos novamente aos 30, com um passe de Madson para Kléber Pereira, mas o auxiliar assinalou o impedimento. A resposta palmeirense apareceu com Obina, que chutou forte, para excelente defesa de Douglas, aos 33.

Robson, que já havia obrigado Marcos a operar um milagre, conseguiu mudar o placar aos 36. Roberto Brum passou por dois marcadores e enfiou para Kléber Pereira, que dividiu com o goleiro do Verdão. A bola voltou e sobrou para Wagner Diniz, que encontrou Robson. O meia-atacante chutou cruzado e rasteiro, sem chances para o camisa 12: 1 a 1.

Fonte: Globo Esporte