Vettel vence o GP dos Emirados Árabes e é vice; Rubinho fecha o Mundial em 3º lugar

O australiano Mark Webber, companheiro de Sebastian Vettel na RBR, chegou na segunda posição, após resistir a uma forte pressão de Jenson Button

Com um carro muito rápido e contando com a sorte, Sebastian Vettel venceu o primeiro GP dos Emirados Árabes da Fórmula 1, disputado neste domingo no circuito da Yas Marina, em Abu Dhabi. O alemão da RBR largou na segunda posição e viu Lewis Hamilton abrir vantagem no primeiro trecho da corrida, mas um problema no freio traseiro direito da McLaren, acabou com a corrida do campeão de 2008 e deu a liderança da prova ao alemão, que assegurou o vice-campeonato da temporada 2009.

O australiano Mark Webber, companheiro de Sebastian Vettel na RBR, chegou na segunda posição, após resistir a uma forte pressão de Jenson Button nas voltas finais da corrida. O inglês da Brawn GP, campeão de 2009 com uma prova de antecipação, completou na terceira posição e fechou seu melhor ano na Fórmula 1 com um pódio.

Rubens Barrichello, companheiro de Button, ainda lutava pelo vice-campeonato com Vettel, mas foi prejudicado com um toque com Webber na primeira curva da corrida, quando perdeu um elemento aerodinâmico de sua asa dianteira. O brasileiro da Brawn GP conseguiu andar no ritmo dos rivais, mas acabou apenas na quarta posição em Abu Dhabi. Nick Heidfeld, da BMW Sauber, chegou na quinta posição da corrida.

Kamui Kobayashi, da Toyota, em mais uma corrida impressionante, chegou na sexta posição em Abu Dhabi. O japonês fez uma brilhante ultrapassagem sobre Jenson Button após o primeiro pit stop do inglês na corrida e segurou um carro mais pesado durante a maior parte da prova, já que estava com uma estratégia de uma parada apenas. Jarno Trulli, companheiro do japonês, foi o sétimo e Sebastien Buemi, da STR, completou a zona de pontuação do GP dos Emirados Árabes em oitavo.

A próxima temporada da Fórmula 1 começará no dia 14 de março de 2010, com o GP do Bahrein, disputado no circuito construído no deserto de Sakhir. Com quatro novas equipes, os 26 pilotos disputarão 19 corridas e, após um ano, o GP do Brasil volta a ser a prova de encerramento, no dia 14 de novembro, em Interlagos.

Vettel se aproveita de problema no freio de Hamilton

Na largada, ainda no fim da tarde, Lewis Hamilton, que saía na pole position, se aproveitou do Kers de seu McLaren e manteve a primeira posição com folga, seguido por Sebastian Vettel, que largou na segunda posição. O alemão da RBR ainda tentou pressionar o inglês na primeira volta, mas não conseguiu a ultrapassagem.

Mark Webber e Rubens Barrichello dividiram a primeira curva, quando o brasileiro tentava ganhar a terceira posição do australiano. O piloto da Brawn saiu no prejuízo, já que a roda traseira esquerda do rival da RBR tocou em sua asa dianteira, que perdeu elementos aerodinâmicos no lado direito. O brasileiro conseguiu acompanhar o ritmo de Webber na primeira volta, mas começou a perder desempenho.

O brasileiro não conseguia andar bem e acabou superado na segunda volta por Jenson Button, seu companheiro de equipe e campeão mundial por antecipação. O inglês abriu cerca de dois segundos de vantagem e o brasileiro começou a ser pressionado por Robert Kubica, da BMW Sauber, que buscava a quinta posição na corrida. Após duas voltas ruins, ele recuperou o ritmo e voltou a andar mais rápido que Button.

A noite começava a chegar em Abu Dhabi e Hamilton abria uma boa vantagem sobre Vettel e Webber, já pensando em seu primeiro pit stop, que seria realizado antes dos rivais da RBR. Só que, a partir da oitava volta, o alemão começou a andar no ritmo do inglês, que começava a sofrer com uma falha em seu freio traseiro direito. Quatro passagens depois, na 12ª, o inglês travou as rodas e saiu da pista, perdendo oito décimos.

Rubens Barrichello fez seu primeiro pit stop na 17ª volta, ao mesmo tempo que Robert Kubica, que lutava pela quinta posição com o brasileiro. O piloto da Brawn ficou nove segundos parado e voltou logo à frente de Kimi Raikkonen, da Ferrari, que tentava a ultrapassagem com o uso do Kers da equipe italiana, mas sem sucesso. Com isso, o brasileiro se manteve à frente do finlandês e do polonês.

Na 18ª, Lewis Hamilton fez seu primeiro pit stop, ao mesmo tempo que Jenson Button. O inglês da McLaren voltou próximo das RBRs, mas já era claro que Sebastian Vettel ganharia a posição do inglês. Enquanto isso, o atual campeão do mundo sofria mais atrás com a pressão do japonês Kamui Kobayashi. O piloto da Toyota fez uma brilhante ultrapassagem no fim da maior reta do circuito de Abu Dhabi, dando um "xis" em Button.

Após uma pequena confusão, com Jaime Alguersuari entrando na posição errada e quasse atrapalhando a parada de Vettel, o alemão ganhou a posição de Hamilton após seu pit stop na 20ª volta, quando retornou à pista. O inglês tentava se manter na corrida mesmo com o grave problema no freio, mas a McLaren ordenou que ele retornasse aos boxes na passagem seguinte, já que a falha causou uma grande vibração na parte traseira de seu carro.

Alguersuari, que reclamava pelo rádio de problemas no câmbio, abandonou a corrida duas voltas depois, quando seu carro simplesmente parou no meio da pista. Mais na frente, Kobayashi fazia mais uma corrida impressionante, com um bom ritmo na quarta posição. O japonês tinha uma tática diferente dos rivais e tentaria fazer apenas uma parada, na 31ª volta. Ele encheu o tanque e voltou mais atrás, mas poderia levar vantagem mais para o fim da prova.

A segunda janela de pit stops começou na 39ª volta, com a parada de Nico Rosberg, da Williams. Na volta seguinte foi a vez de Robert Kubica, da BMW Sauber, que retornou à pista na nona posição. Na 42ª, Barrichello e Heidfeld fizeram seus últimos pit stops e voltaram na quinta e sexta posições, respectivamente.

Kubica tentou ultrapassar Buemi na 43ª volta, quando os dois dividiram a curva no fim da maior reta do circuito. O polonês levou a pior e acabou rodando na pista. Ele perdeu uma posição para o alemão Nico Rosberg, da Williams. Ao mesmo tempo, Jarno Trulli e Jenson Button faziam seus últimos pit stops do ano. O atual campeão mundial voltou na terceira posição da prova, atrás somente de Vettel e Webber, da RBR.

Nas últimas dez voltas da prova, duas brigas atraíram a atenção. Jenson Button tirava a vantagem de Mark Webber e tentava brigar pela segunda posição, mas sem sucesso. Na quarta posição, Rubens Barrichello sofria com a pressão de Nick Heidfeld e Kamui Kobayashi. Mas os rivais não conseguiram reduzir a vantagem do brasileiro, que manteve a posição. Em primeiro, Sebastian Vettel corria confortavelmente, com mais de 16 segundos de frente.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com