Vexame provoca a debandada da torcida na Fan Fest no Rio de Janeiro

Arena montada em Copacabana teve lotação esgotada

Poucos minutos antes da bola rolar, a Fifa Fan Fest montada nas areias da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, atingiu sua lotação máxima de 20 mil torcedores que, mesmo com chuva, cantaram à capela o hino nacional na esperança de uma vitória do Brasil contra a Alemanha e uma vaga na grande final do Maracanã. Meia hora depois, quando Khedira colocou o placar do Mineirão em inacreditáveis 5 a 0 milhares de torcedores começaram a deixar a arena oficial da Fifa.

"Vou ficar aqui para ver isso?", indagou o aposentado Luís Fernando Souza, com os dois netos no braço, estarrecido. "O Felipão errou com o Bernard, mas acho que o time também desanimou com a saída do Neymar", opinou ainda.

O clima de "velório" tomou conta de um dos palcos mais animados da Fan Fest em todo o País. Não se ouviu nenhum grito de torcedor. Alguns, mais exaltados, chutavam lixeiras e jogavam copos de cerveja no chão.

"Vou para casa, não aguento mais", disse o estudante Vinícius Corrêa, que após chutar a parede de uma das tendas montadas para a compra de fichas para comida e bebida, foi contido pelos seguranças. "Não é possível que essas pessoas fiquem assim, quietas, eu estou muito envergonhado", contou.

Os diversos torcedores estrangeiros, em sua grande maioria, torcendo pelo Brasil, com camisas da Seleção Brasileira, inclusive, também se mostravam incrédulos. "Estávamos todos torcendo pelo Brasil, ninguém esperava isso. É surreal", afirmou Mathew Conelling, que veio com dois amigos direto de Melborne, na Austrália, para acompanhar a Copa do Mundo no Brasil. "Nossa torcida era por vocês, o que aconteceu com o time, você consegue me explicar?", perguntou.



Antes de a bola rolar no Mineirão, o clima era de animação e confiança, com gritos exaltados para Neymar quando os jogadores mostraram a camisa 10 do craque do Brasil, lesionado e fora do Mundial, no momento do hino nacional. "É uma pena, era para ser uma festa bonita, a final seria aqui logo depois. Agora vou para casa que eu tenho que trabalhar amanhã e quero descansar", disse o advogado Walter Salles Mendonça, com os dois filhos cabisbaixos. "Eles não sabem o que é ver o Brasil ser campeão, e vão continuar sem saber, infelizmente", finalizou.

Fonte: Terra