150 jovens realizam "pipaço" como protesto na z.Sudeste de Teresina

O Pipaço, como foi popularmente chamado, coloriu o céu de Teresina,

Com intuito de defender a juventude e chamar atenção para a degradação dos espaços de esporte, lazer e cultura de Teresina, cerca de 150 jovens realizaram um "pipaço" no Centro Poliesportivo Fernando Cláudio da Silva, o "Almeidão", no bairro Dirceu, zona Sudeste de Teresina. A iniciativa reuniu entidades dos movimentos sociais, além da participação da banda Estudantil Professor Paulo Resende.

O Pipaço, como foi popularmente chamado, coloriu o céu de Teresina, a fim de questionar alguns pontos relacionados ao projeto de redução da maioridade penal. Segundo Elton Arruda, membro da Rede Piauiense Contra Redução da Maioridade Penal, a ação é uma forma de protesto.

"Se pretendem reduzir a maioridade penal, é preciso primeiro discutir as condições dadas à juventude. A população deve lembrar que o caminho não é propor redução, e sim estabelecer espaços adequados para que a juventude tenha lazer, esporte, educação, cultura e emprego. Dessa forma, ter uma vida estável que não prejudicará ninguém", afirma.

Por isso, um dos focos da iniciativa é o ginásio Almeidão, espaço onde se realizam oficinas e aula de música da banda estudantil Professor Paulo Resende. De acordo com Ismael Oliveira, coordenador da banda, o espaço é um dos únicos lugares para os ensaios semanais, porém ela se encontra em estado de calamidade pública.

"Todas as salas foram invadidas, não tem banheiro e bebedouro. A ideia do pipaço não é apenas para falar sobre os direitos da juventude, é também para mostrar o estado da quadra.

Queremos chamar atenção para revitalização de um espaço importante, pois com ele, nós podemos trazer aquele jovem que está assaltando ou usando drogas para fazer atividades de esporte e lazer", ressalta.

A banda estudantil Professor Paulo Resende conta com 150 crianças e adultos entre 9 e 34 anos. Os ensaios acontecem todos os finais de semana no ginásio Almeidão, no bairro Dirceu.

Dentre os principais trabalhos, está o uso de instrumentos de percussão para realização da Fanfarra, realizado por crianças de escolas públicas da zona Sudeste.

O Pipaço foi organizado pela Rede Piauiense Contra a Redução da Maioridade Penal, que reuniu várias entidades dos movimentos sociais, além de ser organizada pela Central de Trabalhadores do Brasil (CTB)

Fonte: Pollyana Carvalho e Daniely Viana