30 casas correm o risco de desabar na z.Sudeste de THE

O problema está acontecendo no Residencial Recanto dos Pássaros, na zona Sudeste de Teresina

O problema de moradia nas comunidades mais remotas de Teresina ainda continua e preocupa os moradores. No residencial Recanto dos Pássaros, na zona Sudeste de Teresina, existem 30 casas de taipa e algumas delas já começam a desabar. As outras estão em situação precária e leva perigo a quem mora nelas.

O pedreiro Roberto Cavalcante conta que há três semanas foi surpreendido, durante a madrugada, com o barulho de algumas das paredes de sua casa indo ao chão. Os cômodos da casa foram reerguidos com a ajuda dos amigos, mas ficou a sensação de insegurança.

?Minha esposa não fica mais em casa durante o dia. Ela passa o dia com o nosso filho na casa da mãe dela e só volta à noite. Enquanto eles dormem eu fico acordado, com medo de a casa desabar.

É complicado viver assim, mas não tenho condições de construir uma casa melhor. O dinheiro que eu ganho dá mal para comer?, desabafou.

A situação das casas é bastante precária, muitas delas, que já estão com as paredes desabando, usam lonas para tapar o sol. Outras estão sendo sustentadas com pedaços de pau, que improvisam as colunas de sustentação do teto.

Os moradores estão nessas casas de taipa há cerca de sete anos.

O presidente da Associação de Moradores do Recanto dos Pássaros, Clovenildo Santos da Silva, afirmou que já foi à Prefeitura Municipal de Teresina para buscar uma solução para a situação dos moradores da região, mas ainda não obteve nenhum retorno.

?Na gestão passada, do outro prefeito, nós tínhamos mais atenção, agora fomos esquecidos totalmente. Queremos que alguém da prefeitura venha até nós, para ver a situação das casas e fazer alguma coisa por nós?, disse.

Ele afirma que nos últimos anos, o que os moradores têm recebido é um kit taipa, no qual vêm materiais como barro e madeira, para que as necessidades estruturais das residências sejam supridas, mas ele afirma que já não é mais suficiente. ?Geralmente o material não é de qualidade, mas pelo menos vinha alguma coisa, agora não temos mais nem isso?, reclamou.

A assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Habitação e regularização Fundiária afirmou que os gestores da secretaria ainda não tomaram conhecimento da situação dessas famílias, mas deverão procurá-las para tentar resolver esse problema.

Fonte: Pollyana Carvalho