Centenas de carros roubados no Brasil acabam parando na Bolívia

Centenas de carros roubados no Brasil acabam parando na Bolívia

“Isso representa o quê? Incentivo ao roubo no Brasil”, diz Neival Freitas, diretor da Federação Nacional de Seguros.

Centenas de carros roubados no Brasil e levados para a Bolívia foram localizados no país vizinho e aguardam que o governo de lá cumpra a promessa de devolvê-los.

Os veículos foram comprados por bolivianos, que tentaram regularizá-los quando o presidente Evo Morales, com o apoio do congresso, aprovou um decreto de lei no ano passado, que previa anistia para veículos irregulares.

?Isso representa o quê? Incentivo ao roubo no Brasil?, diz Neival Freitas, diretor da Federação Nacional de Seguros.

O pior foi como o povo boliviano reagiu à lei. A população fechou a fronteira com o Brasil na altura de Corumbá, Mato Grosso do Sul, para protestar contra o valor de até US$ 3 mil, pouco mais de R$ 5 mil, cobrados pelo governo boliviano para legalizar cada carro contrabandeado.

Animados com a expectativa de colocar a documentação em dia, 123 mil pessoas se cadastraram. Para evitar a legalização, o Brasil e outros países vizinhos enviaram uma lista com dados de veículos roubados e o governo boliviano recuou.

Com isso, muitos automóveis foram retidos em pátios alugados pelo governo, nas cidades de Santa Cruz de la Sierra e La Paz. Atualmente existem 483 carros roubados no Brasil e, que agora, estão em pátios na Bolívia.

Nos últimos meses, o coronel Jorge Saraiva Castilho vive cercado de seguranças. É ele quem se esforça, junto com a Polícia Federal (PF), para devolução dos 483 carros brasileiros roubados e retidos nos pátios alugados pelo governo. ?Estamos encarregados de fazer cumprir as normas e fazer com que esses veículos sejam restituídos aos proprietários?, diz o coronel.

Burocracia

O vice-chanceler boliviano, Juan Carlos Alurral, admite que problemas burocráticos dificultam a transferência, mas acredita que a devolução dos carros pode acontecer em menos de dois meses.?Temos falado de 45 dias para que se inicie o processo de retorno?.

O embaixador do Brasil na Bolívia, Marcel Fortuna Biato, defende que uma das soluções é dar estrutura para o governo boliviano. ?Nós precisamos interromper um círculo perverso que gera suspeita, alimenta narcotráfico e cria um clima de insegurança na zona de fronteira?.

15 mil carros

Mas o número de carros brasileiros roubados circulando na Bolívia é infinitamente maior, chega a 15 mil. É o que revelou uma investigação feita pela PF.

?As autoridades de La Paz informaram que iriam tomar as providências para que isso fosse cessado. No roubo tem a violência e em muitos casos mortes. Mortes até de brasileiros para que esses veículos sejam levados para o território boliviano?, diz o diretor de investigação e combate ao crime organizado, delegado Oslaim Campos Santana.

Fonte: G1