5 coisas que você precisa saber sobre o zika vírus

A microcefalia está se tornando uma preocupação pública

O Brasil vem enfrentando um surto de zika vírus, uma doença muito parecida com a dengue e que também é transmitida pelo mosquido Aedes aegypti. O problema é que  o zika vírus está deixando o país em alerta não somente pela doença em si, mas pelas consequências desastrosas que ela traz, especialmente para os recém-nascidos, expostos à más formações congênitas, como a microcefalia.

Image title

No Brasil, a microcefalia está se tornando uma preocupação pública. Um surto de crianças que nasceram, nos últimos meses, com o problema, especialmente no Nordeste, deixou o país em estado de emergência.

As mulheres, inclusive, estão sendo aconselhadas a não engravidarem, já que o zika vírus está em alta e, como confirmado, aumenta as chances dos problemas de formação ainda no útero.

Saiba agora 5 coisas que você precisa saber sobre o zika vírus:

1. O que é zika vírus

O zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. O mesmo transmissor dengue e da chikungunya.

Mas, mesmo se tratando de um problema que só ganhou a mídia recentemente, o zika vírus não é tão novo assim no Brasil, os primeiro relato envolvendo a doença foi em 1964. O primeiro surto fora dos continentes africano e asiático, foi na Oceania, em 2007.

2. Sintomas

O zika vírus e a dengue são bem parecidos. A febre do zika vírus é mais moderada, mas os outros sintomas são basicamente os mesmos, dor de cabeça, diarreia, enjoos, coceira e manchas vermelhas na pele são apenas alguns dos sintomas.

3. Tratamento

Não existe um tratamento efetivo para a cura do zika vírus. Mas, assim como no caso da dengue e da febre chikungunya, alguns medicamentos são proibidos, como a aspirina e outros compostos de ácido acetilsalicílico. Isso porque esse tipo de remédio atrapalha na coagulação e pode causar ou evitar a cura de sangramentos.

4. Zika vírus e microcefalia

Para quem não sabe, começou-se a falar muito sobre o zika vírus no Brasil depois de um surto de microcefalia em recém-nascidos no Nordeste. Depois de investigações em várias crianças com microcefalia e outras má-formações congênitas, descobriu-se que o zika vírus estava presente no sangue da maioria delas. A descoberta, aliás, é inédita e foi feita pelo Instituto Evandro Chagas, no Pará.

Atualmente, a epidemia envolve bebês que nascem com a circunferência da cabeça menor que o normal. Até o início de dezembro, a medida para identificar a microcefalia era 33 cm, agora especialistas já afirmam que são 32cm.

5. Prevenção

Os métodos de prevenção da doença são, basicamente, os que já conhecemos para a dengue. O combate principal é tentar acabar com o mosquito transmissor,assim, a transmissão do zika vírus e de outras doenças também seria reduzida.

No mais, o certo é evitar locais com muitos mosquitos, usar repelentes, evitar a água acumulada e assim por diante. Evitar visitas a pessoas contaminadas com o zika vírus também é algo importante, já que um mosquito contaminado pode picar você também.

Fonte: R7